quarta-feira, 2 de junho de 2010

Qual a origem da carne que eu consumo? Mais uma do MPF!






O Ministério Público Federal no Pará lançou ontem, 1º de junho, em Belém, campanha cidadã pelo consumo consciente de produtos bovinos. A campanha é um alerta sobre as ilegalidades presentes na cadeia da pecuária. E também sobre a necessidade de os consumidores cobrarem informações a respeito da origem da carne que compram nos supermercados. A campanha será veiculada em todo o Brasil e começa exatamente um ano depois do início do trabalho contra a ilegalidade na cadeia da pecuária.
A campanha Carne Legal quer chamar a sociedade brasileira a refletir e a impulsionar supermercados, frigoríficos e pecuaristas, mas também as instituições do governo, para que a informação sobre a origem da carne esteja disponível para todos no momento da venda. Até agora, apesar dos avanços obtidos, essa informação é encontrada apenas em alguns pontos de comercialização. O trabalho tem o apoio do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e da Repórter Brasil, organização que trabalha para a erradicação do trabalho escravo. As duas instituições vão ajudar a disseminar a preocupação com a sustentabilidade da pecuária entre os consumidores.
Toda a campanha está disponível para download no site http://www.carnelegal.mpf.gov.br/.
A ideia de buscar o esclarecimento direto dos consumidores sobre as consequências da falta de informações sobre a origem da carne começou a ser debatida pelo MPF em 2009, após a assinatura, no Pará, dos acordos pela pecuária sustentável, pelos quais os frigoríficos se obrigaram a exigir cuidado socioambiental de seus fornecedores. O site tem todos os Termos de Ajustamento de Conduta celebrado entre os produtores, supermercados e o Ministério Público. Bem como todos que atenderam à recomendação do Ministério Público. Interessante conhecer a campanha e saber como garantir que a carne que entra em sua casa participa de uma cadeia solidária e sustentável.
O trabalho no Pará, quinto maior rebanho do país, foi apenas o início. Recentemente, no Mato Grosso, maior produtor de gado do Brasil, o MPF também conseguiu entrar em acordo com dois frigoríficos, o Independência e o Marfrig, ambos agora parceiros na briga para que a atividade pecuária deixe de representar risco ambiental na Amazônia.
Imagem retirada do site da campanha!

Um comentário:

Patricia Vilas Boas disse...

Excelente, Leiloca! Esta noticia e' de utilidade publica!!!