quarta-feira, 20 de outubro de 2010

30 Ways in 30 Days - Em busca de uma economia global verde

O Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) vai lançar, em tempo para a reunião da Convenção das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas no México, 30 estudos de caso que abrangem desde a criação de mercados de massa para aquecedores solares de água até o reflorestamento e a proteção de florestas, com o objetivo de demonstrar que soluções para combater as alterações climáticas não só estão disponíveis, como também são acessíveis e replicáveis. Compromissos atuais e promessas no âmbito do acordo de Copenhague em relação às emissões de gases de efeito estufa até 2020, proporcionam uma boa plataforma para uma ação global, mas o nível atual de ambição é considerado insuficiente para atender ao limite de 2oC de aquecimento. Nesse contexto, o PNUMA anunciou - durante a reunião do CN NET (Climate Neutral Network) na Cúpula de Negócios para o Meio Ambiente (B4E, na sigla em inglês), que aconteceu na Cidade do México nos dias 4 e 5 de Outubro de 2010 - uma nova iniciativa intitulada "30 maneiras em 30 dias".

O primeiro estudo de caso é o Solar Loans for Solar Homes. Como um exemplo de empreendedorismo de pequeno porte que se expandiu rapidamente, o programa de empréstimo para casas com energia solar, do PNUMA, trabalhou, em 2003, com dois dos maiores grupos bancários da Índia para fornecer empréstimos a juros baixos para sistemas de energia doméstica fotovoltaica, que é um método de geração de energia elétrica que converte radiação solar em corrente elétrica direta através de semicondutores. O programa ofereceu suporte técnico e formação e viabilizou taxas de juros reduzidas mediante reembolso aos bancos pela diferença entre as taxas de juros normais de empréstimo e a taxa reduzida oferecida aos mutuários. Apesar de os bancos não serem diretamente beneficiados por esses subsídios, eles se empenharam em desenvolver um novo mercado para o financiamento nas áreas rurais da Índia. Quase 20 mil sistemas de energia solar foram financiados entre 2003 e 2007. No final do projeto, os subsídios foram gradualmente reduzidos para uma taxa livre de mercado, quando outros bancos começaram a conceder empréstimos em condições comerciais. O programa de empréstimo "solar" acelerou a penetração da energia solar fotovoltaica no interior da Índia e inspirou muitas iniciativas semelhantes no país e no mundo. Em 2008, o programa ganhou o Prêmio Global de Energia para a Sustentabilidade e, em 2009, foi um dos dois projetos de campo que recebeu o Prêmio ONU21 do Secretário-Geral por inovação no âmbito das Nações Unidas.

Estudos de caso serão publicados diariamente no site www.unep.org/unite/30ways entre os dias 1 de novembro e 8 de dezembro. Os exemplos mostrarão uma vasta gama de soluções "verdes" de diferentes partes do mundo para empresários das áreas de energia e transporte, para financiamento de carbono, estilo de vida verde e estratégias de adaptação.

Nenhum comentário: