terça-feira, 16 de novembro de 2010

Natura multada em R$21 milhões pelo IBAMA

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) multou neste mês a empresa de cosméticos Natura em um total de R$ 21 milhões por suposto uso de recursos da biodiversidade de forma irregular. A companhia pertence ao empresário Guilherme Leal, vice na chapa da candidata derrotada do Partido Verde à Presidência, Marina Silva. Foram 64 autos de infração que se referem a processos ocorridos em diferentes anos. A Natura afirma que vai recorrer e diz estar segura de ter cumprido os fundamentos da Convenção da Diversidade Biológica (CDB).

Um dos processos pelos quais a Natura foi multada, destaca a reportagem do Estado de S. Paulo, diz respeito à exploração comercial de um fruto do Acre, o murmuru, usado em xampus e sabonetes, sem pagar as devidas compensações por conhecimento tradicional à etnia indígena ashaninka. O caso gerou processo judicial por biopirataria contra a empresa que se arrasta desde 2001. A Natura afirma que em 2003 assinou um termo de compromisso com o governo do Acre, o que teria encerrado o assunto.

Fonte: Hoje em dia

3 comentários:

Patricia Vilas Boas disse...

Espero que tudo seja esclarecido... Para mim, a Natura tinha até então uma imagem de uma empresa muito séria. Que pena!

Anônimo disse...

é como se não desse como acreditar. a NATURA preserva muito sua imagem como uma empresa que sempre visa a sustentabilidade, principalmente quando se trata de usar recursos naturais extraídos da nossa biodiversidade, valorizando o que temos de tão importante que é o nosso patrimônio ambiental. se acontecer mais casos como este, ficará uma dúvida crucial nos pensamentos da nossa gente, em quem devemos connfiar? quem realmente se diz garantir num compromisso sustentável?

Ingrid Dantas disse...

é como se não desse como acreditar. a NATURA preserva muito sua imagem como uma empresa que sempre visa a sustentabilidade, principalmente quando se trata de usar recursos naturais extraídos da nossa biodiversidade, valorizando o que temos de tão importante que é o nosso patrimônio ambiental. se acontecer mais casos como este, ficará uma dúvida crucial nos pensamentos da nossa gente, em quem devemos connfiar? quem realmente se diz garantir num compromisso sustentável?