quinta-feira, 31 de março de 2011

Fukushima e Brasil


A questão da segurança das usinas nucleares voltou a ordem do dia em função dos tristes acontecimentos no Japão.

Vocês devem ter acompanhado pelos jornais e TV que o acidente em Fukushima gerou um efeito em cascata no mundo. Na Alemanha, sete usinas antigas de energia atômica foram paralisadas. A França voltou a discutir a necessidade de debate sobre a questão. Também a China e os Estados Unidos anunciaram uma revisão dos procedimentos de segurança dos seus reatores. E no Brasil, os reflexos da tragédia também foram percebidos.

Ao se investigar a situação das usinas nucleares no Brasil, o que se descobriu é de arrepiar...

O presidente da Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnen) admitiu ao jornal Correio Braziliense (22/03/11) a possibilidade de mudanças em alguns procedimentos, como, por exemplo, na divulgação dos planos de emergência em Angra. ‘O debate que vai surgir pode levar à definição de mais segurança à população. Existe uma reclamação muito grande sobre o desconhecimento dos planos de emergência’, diz Odair Dias.

Para completar a seriedade da questão, o mesmo jornal divulgou que o governo brasileiro precisou gastar cerca de R$ 25 milhões, em 2011, para importar o urânio destinado a manter em funcionamento as usinas nucleares Angra 1 e 2. A demora da Cnen para conceder a licença necessária para explorar o material e a dificuldade das Indústrias Nucleares do Brasil (INB) ao fazer as adaptações exigidas levaram a uma queda na produção na mina de Caetité (BA), a única em funcionamento no Brasil.

Ainda pra completar, chegou ao público a notícia de que a usina Angra 2 vem operando a 10 anos sem a competente licença de operação, que deveria ter sido emitida pelo CNEN.

Em função disso, há informações de que o presidente da CNEN foi exonerado. Contudo, o que se tem confirmação é de que haverá um processo de reestruturação da referida Comissão.

Pelo menos o acidente de Fukushima está servindo de alerta para nós brasileiros e para o mundo...






Fonte da foto:

http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/mundo/2011/03/16/interna_mundo,243034/fukushima-tenta-religar-energia-para-ativar-bombas-dagua-de-resfriamento.shtml

quarta-feira, 30 de março de 2011

Florestas e Homens

Assistam a Florestas e Homens, o filme oficial do Ano Internacional das Florestas – 2011 – da ONU, dirigido por Yann Arthus-Bertrand.



“Vivamos erguidos como uma grande árvore e fraternalmente como uma floresta”.

Fonte: Autopoeta

Prêmio GreenBest e a PNRS

Hoje li a seguinte manchete so site do Ministério do Meio Ambiente: "Política de Resíduos Sólidos concorre ao Prêmio GreenBest". Confesso que fiquei um pouco confusa, afinal a Política Nacional de Resíduos Sólidos ainda não saiu do papel!

Pois bem, segue na íntegra a publicação e quem quiser ajudar o governo a ganhar esse prêmio pode votar. O Governo também está concorrendo por outros projetos.

"O Ministério do Meio Ambiente (MMA) está concorrendo ao Prêmio GreenBest na categoria Iniciativas Governamentais com a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS). A votação popular acontece de 29 de março a 4 de maio de 2011 e quem quiser ajudar o MMA a vencer a disputa, basta votar no site do Prêmio, diretamente no seguinte endereço eletrônico

Além da votação popular, o MMA ainda concorre com a PNRS perante um júri especializado, batizado de Academia GreenBest, que terá seus votos auditados. Quando a votação popular dos TOP10 aconteceu, de 17 de janeiro a 16 de março, além desses dois projetos, o Ministério estava concorrendo com outras duas iniciativas do próprio MMA (Macrozoneamento Ecológico-Econômico da Amazônia Legal e Política Nacional sobre Mudança do Clima) e mais outras quatro ações: Asfalto sustentável do Governo do Estado do Rio de Janeiro, a Cidade de Curitiba do Governo do Estado, a Lei dos Orgânicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Linha de Crédito Economia Verde Agência de Fomento Paulista, da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, e Município Verde Azul do Governo do Estado de São Paulo."
http://greenbest.greenvana.com/top3/governo/. Com a votação do Júri Popular, o Ministério ficou entre os TOP3 e agora concorre com o monitoramento de floretas do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) e com a Lei Estadual de Sacolas Plásticas da Secretaria Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro.

Green Drinks BH!


No dia 05 de Abril (terça-feira), teremos um bate-papo sobre “Compensação de carbono e mudanças climáticas” e o anfitrião da noite será o sócio-diretor do Projeto Compensar, Gustavo Salles Nappo.


Gustavo é graduado em Administração e pós graduado em Gestão Ambiental e Aperfeiçoamento Internacional em Sustentabilidade. Há 6 anos desenvolve projetos na área de sustentabilidade e tem 10 anos de experiência em planejamentos estratégicos, elaboração e gestão de projetos e coordenação logística. É Ponto Focal em Minas Gerais das campanhas internacionais Tic Tac e 350.org, e membro do Coletivo Jovem de Minas Gerais e de redes nacionais e internacionais relacionadas à Juventude e Sustentabilidade. É colaborador voluntário da ONG 4 Cantos do Mundo.


Esperamos por você!


Anote na agenda:


Local de encontro: Restaurante Rima dos Sabores. Rua Esmeraldas, nº 522. Bairro: Prado. (http://www.rimadossabores.com.br/)


Quem pode ir: Todos aqueles que acreditam e que se interessam pela temática que envolve a sustentabilidade


Regras do jogo: Convidar amigos que tenham interesse pelo assunto!


Mais informações: Entre em contato com o Núcleo de Sustentabilidade & Inovação da Anima Educação pelo telefone: 31 3319-9269 ou email: sustentabilidade@animaeducacao.com.br


ENTRADA FRANCA! Você só paga se consumir!


Visite: http://sustentabilidadeanima.ning.com/groups/group/show?id=2938537%3AGroup%3A6042&xg_source=msg_mes_group

terça-feira, 29 de março de 2011

Quarta Sustentável - UNB - Brasília

O Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (CDS/UnB) convida para a Palestra da Quarta Sustentável:


“As bases teóricas da história ambiental”, Prof. Dr. José Augusto Pádua Universidade Federal do Rio de Janeiro.


Data: 30 de março de 2011

Horário: 18h

Local: Auditório do CET – UnB - Campus Universitário Darcy Ribeiro, Gleba A, Asa Norte, Brasília/DF


A primeira Quarta Sustentável acontecerá com uma palestra do historiador José Augusto Pádua, doutor em Ciências Políticas e professor da UFRJ, autor de vários livros inclusive ‘Um Sopro de destruição’.



O Palestrante possui graduação em História pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1983), mestrado em Ciência Política pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro - IUPERJ (1985), doutorado em Ciência Política pelo IUPERJ (1997) e pós-doutorado em História pela University of Oxford (2007). Atualmente é professor do Departamento de História da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde coordena o Laboratório de História e Ecologia e é membro do Comitê Editorial de Topoi - Revista de História. É membro do Conselho Científico da Sociedade Latinoamericana y Caribeña de História Ambiental e do Conselho Editorial dos periódicos Environment and History (Cambridge), Ecologia Política (Barcelona), História, Ciências, Saúde-Manguinhos (Rio de Janeiro) e Ambiente e Sociedade (Campinas). Como especialista em história ambiental e política ambiental, deu cursos, proferiu conferências e participou de trabalhos de campo em mais de 35 países. Tem experiência na área de História, com ênfase em História Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: história do Brasil, história de florestas e agroecossistemas, história da ciência, políticas de desenvolvimento sustentável, história das políticas ambientais e história das idéias sobre a natureza.


CDS/UNB

Campus Universitário Darcy Ribeiro, Gleba A, Bloco C - Av. L3 Norte, Asa Norte - Brasília-DF, CEP: 70.904-970 (Junto ao Centro de Excelência em Turismo - CET) Telefones: 55(61) 3107-6000, 3107-6001, 3107-6002, Fax: 3107-5972 Site: www.unbcds.pro.br unbcds@gmail.com

domingo, 27 de março de 2011

Os dez mandamentos da ecologia


1. Ama a Deus sobre todas as coisas e a Natureza como a ti mesmo.


2. Não defenderás a Natureza em vão, apenas com palavras, mas através de teus atos.

3. Guardarás as florestas virgens, pois tua vida depende delas.

4. Honrarás a fauna, a flora, todas as formas de vida, e não apenas a humana.

5. Não matarás.

6. Não pecarás contra a pureza do ar deixando que a indústria suje o que a criança respira.

7. Não furtarás da terra sua camada de húmus, raspando-a com o trator, condenando o solo à esterilidade.

8. Não levantarás falso testemunho dizendo que o lucro e o progresso justificam teus crimes.

9. Não desejarás para teu proveito que as fontes e os rios se envenenem com o lixo industrial.

10. Não cobiçarás objetos e adornos para cuja fabricação é preciso destruir a paisagem: a terra também pertence aos que ainda estão por nascer.

João de Vasconcelos Sobrinho


sexta-feira, 25 de março de 2011

Hora do Planeta

Juízes federais debatem jurisprudência ambiental do STJ

O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Ari Pargendler, abriu na manhã desta quarta-feira (23) o 1º Encontro Nacional dos Juízes da Fazenda Pública e Federais com Competência Ambiental. Realizado no STJ, o evento é promovido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
O presidente destacou o interesse social do meio ambiente e o papel do STJ, conhecido como Tribunal da Cidadania, na proteção desses direitos. “O STJ julga mais litígios sobre temas ambientais do que todas as altas cortes da América Latina somadas”, revelou.
Para Pargendler, o juiz é um implementador das normas jurídicas, e não pode ficar ausente diante de um contexto de ameaça à biodiversidade e busca de um desenvolvimento sustentável. O ministro destacou a atuação institucional do STJ, na celebração de convênios nacionais e internacionais para melhoria da prestação jurisdicional sobre o tema. O tribunal desenvolve um portal dedicado ao direito ambiental, que foi apresentado preliminarmente aos juízes.

Jurisprudência do STJ - O ministro Herman Benjamin proferiu a palestra inicial do evento, destacando a jurisprudência do STJ sobre direito ambiental. O ministro ressaltou que a jurisprudência é uma construção coletiva não só do STJ, mas de todo o Judiciário. “Faço questão de citar e enviar correspondência ao autor da sentença ou acórdão, quando os mantenho. É um reconhecimento da corte superior ao trabalho dedicado na elaboração da tese”, afirmou.
Entre as principais inovações jurisprudenciais, o ministro apresentou a conceituação da função ecológica da propriedade, como desdobramento da função social, por exemplo. Outro precedente trata da ponderação de valores protegidos por uma área de preservação permanente (APP) e o direito à habitação. O caso tratava da remoção de favelas à beira de uma represa em São Paulo (SP). O tribunal entendeu que a água só pode ser captada onde existe, mas a habitação pode ser provida pelo estado em qualquer área do território.
Quanto à reserva legal, o STJ já pacificou o entendimento de que ela é obrigatória e acompanha a propriedade (propter rem). Isto é, quem adquire a propriedade leva não só suas vantagens como seus encargos, e não se pode afastar a obrigação ambiental sem se abrir mão do próprio direito à propriedade. Segundo o ministro, o STJ entende atualmente que toda obrigação ambiental é propter rem, o que levou à sua aplicação em casos de destinação de lixo.
Benjamin também apontou a pacificação do entendimento de ser incabível a indenização por desapropriação de APP, porque não podem sofrer exploração econômica. Nos casos de reserva legal, a indenização é possível, mas não pode levar em consideração o mesmo valor da terra nua, já que preexistem restrições. Também não são indenizáveis os terrenos marginais a cursos d’água, porque são terrenos públicos.

Outro ponto ressaltado pelo ministro foi a aplicação da boa-fé objetiva no direito ambiental. Para o STJ, não cabe indenização por restrições ambientais que existiam antes da aquisição da propriedade. O STJ também inovou na proibição do retrocesso legislativo em matéria ambiental, ao tratar das queimadas.

Em relação a águas, um dos destaques foi a conceituação de quais veios d’água devem ser protegidos por APPs. Segundo o tribunal, o regime jurídico das APPs é universal, não importando as características hidrográficas ou condição de preservação das matas. “Nos menores cursos d’água é que a proteção da mata em torno é mais importante. A estreiteza do veio não diminui sua importância no conjunto hidrográfico”, explicou o ministro.

O ministro Herman Benjamin explicou que a vastidão da jurisprudência do STJ sobre matéria ambiental não decorre da busca dos juízes em interferir nas políticas públicas, mas da lei. “O juiz, no Brasil, não cria obrigações de proteção ao meio ambiente, elas jorram da lei. Não precisamos de juízes ativistas, o ativismo é da lei e da Constituição”, afirmou. Para Benjamin, há um preconceito contra o especialista em direito ambiental. “Nunca ouvi dizer que um juiz é dos bancos porque entende de direito bancário, ou falar em um juiz de propriedade por ser especialista em direitos reais. Mas um juiz especialista em direito ambiental é atacado em recursos como um ativista ambiental. Por mais ativista que fosse, não conseguiria acompanhar a velocidade da legislação nacional”, concluiu.

Ao final do evento, devem ser formuladas conclusões e encaminhamentos a serem aproveitados pelo CNJ na definição de políticas nacionais.

Fonte CNJ

Programação Inhotim


Circuito Temático: "Aves"

Ao percorrer o trajeto do Circuito das Aves, os participantes terão a oportunidade de conhecer, apreciar e conversar sobre as diversas espécies de aves nativas e exóticas que compõem os lagos do Instituto e que complementam o paisagismo do Inhotim. O participante receberá um guia especial colorido com fotos das espécies destacadas na atividade. Não é necessário fazer inscrição.


Dias: 26 e 27/03
Horário: 10h30
Local: Saída da recepção



Visita Temática Ambiental

A Visita temática é uma agradável caminhada pelos jardins, que propicia ao visitante conhecer parte da relevante coleção botânica disposta paisagisticamente assim como outros elementos que compõem esse espaço. O percurso tem aproximadamente uma hora e meia de duração.

Dias: 26 e 27/03
Horário: 14h30
Local: Saída do Tamboril



Visita Panorâmica

Em um agradável percurso de uma hora e trinta minutos mediada por um educador ambiental e um arte-educador, o visitante terá uma visão geral do Instituto, assim como de seus acervos: botânico e arte contemporânea. Contempla os jardins e algumas obras dispostas nos espaços externos.

Dias: 23 a 27/03
Horário: 11h e 14h
Local: Saída da Recepção



Informações gerais:

Entrada

A entrada custa R$20. Estudantes, maiores de 60 anos e pessoas com necessidades especiais pagam meia entrada. Crianças de até cinco anos não pagam.

Localização

Inhotim está localizado no município de Brumadinho, a 60 km de Belo Horizonte (aproximadamente 1h15 de viagem). Acesso pelo km 500 da BR-381.

Horários de visita

Terça a sexta - Das 9h30 às 16h30
Sábado, domingo e feriados - Das 9h30 às 17h30


Central de informações

http://www.inhotim.org.br//

info@inhotim.org.br

31 3227 0001

quarta-feira, 23 de março de 2011

May East - Cidades em Transição

Treinamento com May East, diretora do Gaia Education, programa vinculado à ONU que dissemina o conceito de urbanismo sustentável.
Um evento imperdível: Salvador, dias 2 e 3 de abril de 2011.
Maiores informações em http://www.ecobairro.org.br/

Vivência em Bioconstrução na BAHIA

Arrecadação por CFEM pode aumentar


O governador de Minas Gerais, Antônio Anastasia (PSDB), anunciou ontem, que apoia a modificação dos percentuais da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), paga por toda empresa mineradora, com base em seu faturamento líquido, para as cidades e Estados onde atuam.

A associação dos municípios mineiradores pretende reajustar a alíquota de 1,2% do faturamento líquido (2% do bruto) para 4% do faturamento bruto.


De acordo com o DNPM - Departamento Nacional da Produção Mineral, a arrecadação da CFEM em Minas Gerais alcançou em 2010 o montante de R$ 534,867 milhões, sendo que a CSN e VALE deviam R$ 2,6 bilhões em abril de 2010.


Os reflexos do desastre ambiental no Japão

Pássaros sobrevoam área atingida por terremoto

Hoje, a notícia veiculada pelos jornais refere-se ao aumento da radiação por iodo na capital do Japão, Tóquio.

Autoridades pediram que as crianças não bebam mais a água de torneira. A recomendação causa medo entre os japoneses, após detecção de radiação em leite, vegetais e na água do mar da região próxima à usina nuclear de Fukushima Daiichi.
Com os temores de uma ampla contaminação por radiação dos alimentos cada vez maiores, os avanços nos esforços para conter o superaquecimento dos seis reatores da usina ainda são lentos.

A crise nuclear e a devastação causada pelo terremoto de magnitude 9 do último dia 11, seguido por um tsunami, pode ser o desastre natural mais caro do mundo. O governo japonês estimou que a reconstrução do país deve custar até US$ 309 bilhões.

Além da busca pelas vítimas, outra enorme preocupação é a quantidade de iodo nas águas.
O governo recomendou assim que as crianças de 23 bairros do centro da capital e outros cinco distritos vizinhos (Musashino, Machida, Tama, Mitaka e Inagi) não consumam água de torneira.
A água ainda é segura para os adultos, para quem o limite de iodo é de 300 becquerel por quilo. Mas o temor já se espalhou e os japoneses estão em uma corrida por água mineral nos supermercados --onde o produto está sendo racionado.


As crianças são especialmente vulneráveis ao iodo radioativo, que pode causar câncer de tireoide. Os limites, contudo, se referem ao consumo prolongado da água ou alimento contaminado e as autoridades pediram calma. A orientação é que não se dê mais água de torneira aos bebês, mas não há risco se eles consumiram pequenas quantidades.

Segundo especialistas franceses, uma nuvem radioativa causada pelas explosões na usina de Fukushima deverá chegar, em breve, à Europa, mas estimam, no entanto, que ela não será nociva à saúde da população.

Fonte: Folha.com

terça-feira, 22 de março de 2011

Asfalto que absorve e armazena água da chuva

As áreas de várzea dos rios foram assoreadas, o volume das chuvas aumentou e as enchentes estão cada vez mais comuns em todos os cantos do Brasil e do mundo. Quem criou o problema fomos nós e nada mais justo do que encontrarmos uma solução para, pelo menos, minimizá-lo. Foi o que fez o pesquisador José Rodolpho Martins e sua equipe, ao desenvolver a CPA – Camada Porosa de Asfalto. A invenção do profissional, que trabalha no Departamento de Hidráulica da USP – Universidade de São Paulo, é simples: um pavimento com pequenos vãos, que não afetam a qualidade do asfalto, capazes de absorver a água da chuva e armazená-la, entre uma camada e outra de pavimento.
Em algumas horas, toda a água da chuva é “chupada” por um sistema de drenagem, instalado no momento da pavimentação, que encaminha o recurso para as galerias pluviais. Assim, a CPA é capaz de evitar ou, ao menos, minimizar as enchentes e, consequentemente, todos os estragos que a acompanham. A técnica já foi implantada, com sucesso, em um dos estacionamentos da USP, mas possui uma falha, reconhecida pelos próprios pesquisadores: o preço. O custo da instalação da CPA chega a ser 25% maior do que o de um pavimento comum. Mas os benefícios também prometem ser bem maiores. Será que o governo vai se interessar?
Fonte Planeta sustentável - Débora Spitzcovsky
Imagem www.atarde.com.br

Mobilidade urbana em Belo Horizonte???

Hoje aconteceu um fato (até) engraçado...

Recebi um email com o seguinte assunto: "REBATIZANDO os nomes das vias de BH".

Seu conteúdo, em resumo, era: "Insatisfeitos com a lentidão do trânsito em Belo Horizonte, motoristas decidiram levar seu sofrimento das ruas para o Facebook. Indignados com a falta de obras para agilizar o fluxo de veículos, internautas decidiram mudar o slogan "Eu amo BH radicalmente" para "Rebatizando BH radicalmente". Com isso, sugestões para mudanças de nomes de ruas e avenidas de Belo Horizonte foram dadas:




Em seguida, recebo um email informando sobre a publicação da Lei nº 10.134, de 18 de março de 2011 que institui a Política Municipal de Mobilidade Urbana em Belo Horizonte. Os principais pontos abrangidos pela referida Lei são:

Art. 4º - A Política Municipal de Mobilidade Urbana observará as seguintes diretrizes:

I - priorizar o deslocamento realizado a pé e outros meios de transporte não motorizados;
II - desenvolver o sistema de transporte coletivo do ponto de vista quantitativo e qualitativo;
III - criar medidas de desestímulo à utilização do transporte individual por automóvel;
IV - estimular o uso de combustíveis renováveis e menos poluentes;
V - integrar os diversos meios de transporte;
VI - assegurar que todos os deslocamentos sejam realizados de forma segura;
VII - promover ações educativas capazes de sensibilizar e conscientizar a população sobre a importância de se atender aos princípios da Política Municipal de Mobilidade Urbana;
VIII - fomentar pesquisas a respeito da sustentabilidade ambiental e da acessibilidade no trânsito e no transporte;
IX - buscar alternativas de financiamento para as ações necessárias à implementação desta Lei.


Art. 5º - Para o alcance do objetivo proposto no art. 2º desta Lei, compete ao poder público:

I - realizar diagnóstico que permita identificar aspectos referentes ao transporte e ao trânsito a serem trabalhados e locais a serem qualificados nos termos propostos por esta Lei, de modo a possibilitar a elaboração de um Plano Diretor de Mobilidade;
II - intensificar a fiscalização referente às normas de construção e conservação de passeios;
III - intensificar a fiscalização referente à instalação de mobiliário urbano e ao exercício de atividades nos logradouros públicos, conforme o previsto na Lei nº 8.616, de 14 de julho de 2003;
IV - implantar faixas de pedestre nas vias coletoras, arteriais e de ligação regional, bem como em frente a escolas e hospitais;
V - desenvolver campanha de conscientização que incentive o deslocamento realizado a pé;
VI - avaliar e aprimorar a sinalização de trânsito horizontal e vertical;
VII - desenvolver programas voltados para a qualificação urbanística, ambiental e paisagística dos espaços públicos.


A Lei é realmente bonita, a ideia louvável, mas não é compreensível a ausência de competência do Poder Público em buscar melhorias e inovações no transporte público e tampouco a ausência de competência expressa para implantação de ciclovias.

A verdade é que a Prefeitura de Belo Horizonte pretende mascarar as ações voltadas para a mobilidade urbana na tentativa de convencer a população de que o trânsito vai melhorar. Claro que sem a ajuda de todos isso é impossível, mas sem uma ação concreta do Poder Público essa melhoria só se tornará, em um futuro próximo, uma verdadeira utopia...

Aliás, alguém viu a BHTrans por aí?



Fonte: O Tempo / Diário Oficial do Município BH

segunda-feira, 21 de março de 2011

Charge do Dia (Mafalda)

Programação Dia Mundial da Água II - SP


Até o dia 31 de março, a estação Sé, em São Paulo, expõe a mostra “Hydros IV – Cotidiano”, durante o horário de funcionamento do Metrô. Os “passageiros-visitantes” irão conferir, gratuitamente, informações e imagens onde a água é o tema principal.

Com o intuito de comemorar o “Dia Mundial da Água”, 22 de março, 17 registros fotográficos compõem a exposição que conta com obras de artistas espalhados pela América Latina. Além das imagens, o público também se informa sobre dados e fatos relacionados à água, como por exemplo, que cada pessoa consome por dia cerca de 5 mil litros de água, ou 1 milhão e 24 mil litros por ano, o equivalente a metade de uma piscina olímpica.

As imagens integram o livro que recebeu o mesmo nome da exposição, produzido pela Satori Editorial. A partir do dia 4 de abril, a “Hydros” parte para o Conjunto Nacional, que se encontra na Av. Paulista, até o dia 25.

Sobre a Hydros IV – Cotidiano

A mostra e o livro são baseados no conceito da pegada hídrica ou pegada virtual da água, que considera a quantidade de água utilizada para a produção de alimentos, produtos e serviços para o cálculo do nosso consumo diário de água, indo muito além do que é bebido ou usado para tomar banho.

Compartilhe e Socialize!

Serviço:

O Que: Hydros IV - Cotidiano

Quando: diariamente de 16 (Qua) a 31/03 (Qui), das 04:40 às 00:30

Quanto: Catraca Livre

Onde: Estação Sé do Metrô


Fonte do texto: site catraca livre

sexta-feira, 18 de março de 2011

Convite: comemoração dia mundial da água

Programação em comemoração ao Dia Mundial da Água em Paracatu.
Visitem a casa reciclada!

Programação Dia Mundial da Água

Em comemoração ao Dia Mundial da Água (22/03), a ONG SOS Mata Atlântica realiza e participa, entre os dias 11 e 22 de março, de mobilizações, caminhadas, atividades culturais, debates e fóruns em municípios como Araçariguama, Cabreúva, Itu, Osasco, Porto Feliz, Salto, São Paulo e, em Extrema (MG), Curitiba (PR) e Brasília (DF). As ações incluem a III Jornada pelo Tietê, entre os dias 14 e 19, com caminhada na Estrada Parque de Itu no sábado (19), a “Semana da Água de Osasco”, a palestra “Observando o rio Jaguari”, em Extrema (MG), e o seminário “A Revisão do Código Florestal e Conseqüências”, no dia 24/03, em São Paulo. Na terça (15) ocorre um encontro regional do Projeto Água de Viver, em Curitiba (PR), e ainda um café da manhã da Frente Parlamentar Ambientalista sobre Água, em Brasília (DF).

No 22/03, às 14h, a SOS Mata Atlântica também realiza um bate-papo online em sua rede social, a Conexão Mata Atlântica. O evento contará com a participação da presidente da Sabesp (companhia de águas de São Paulo), Dilma Penna, que falará sobre os desafios na luta pela universalização do saneamento no estado e pela despoluição do Tietê, além do trabalho da companhia. Para acompanhar o evento, basta se cadastrar na rede e acessá-la no dia e horário da entrevista.

Dia Mundial da Água: O Dia Mundial da Água foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 22 de março de 1992, data da publicação da Declaração Universal dos Direitos da Água. Os dez artigos da declaração chamam a atenção para fatores que envolvem o direito a seus múltiplos usos, importância para a vida, gestão compartilhada e valor econômico, mas também a sua fragilidade e como ela precisa ser utilizada racionalmente por todos, mantendo seu ciclo intacto.

O tema proposto pela ONU para o Dia da Água deste ano chama atenção para o desafio da gestão da água nas cidades, em virtude do crescimento urbano, da industrialização e das mudanças climáticas que causam impactos drásticos para os recursos hídricos.

Ainda dá tempo de participar da programação em sua cidade ou online pela internet! Saiba mais sobre as atividades sobre o dia mundial da água em SOS Mata Atlântica.

Fonte: Sos Mata Atlântica


Uma casa modelo ecologicamente correta, tanto na construção quanto em seus equipamentos, móveis e utensílios, uma exposição de produtos e tecnologias com espaço para negócios sustentáveis e uma programação voltada para o entretenimento, CASA VIVA guarda, na verdade, a intenção de provocar mudanças nos hábitos de consumo da sociedade. Isso tudo unido a uma série de palestras técnicas, debates, apresentação de cases e estudos voltados para a sustentabilidade. Um empreendimento grandioso.

Com o propósito de integrar a competitividade nos negócios e a responsabilidade socioambiental, CASA VIVA traz também um forte viés de educação ambiental. Buscando, através da conscientização ambiental e da prática de novos hábitos de consumo, mostrar para o público que é possível ser parte do planeta e não o centro dele, CASA VIVA chega com a missão de modificar o comportamento da sociedade, trazendo a teoria para a prática. Através de valores como Sustentabilidade, Novos Hábitos de Consumo e Simplicidade, CASA VIVA quer aproximar das pessoas comuns a idéia de que é necessário, e mais importante, possível descobrir novos meios de viver o cotidiano.

No centro do processo está uma casa modelo ecologicamente correta, totalmente desenvolvida com equipamentos ecoeficientes. Na CASA VIVA protótipo será desenvolvida ainda uma série de atividades de educação ambiental que tem o objetivo de disseminar práticas sustentáveis através da orientação de agentes capacitados e que será destinada a participação da sociedade.

O evento também conta com uma feira de negócios voltada para equipamentos, produtos e serviços dirigidos à construção sustentável. Afirmando, assim, a visão de CASA VIVA que entende que a lucratividade pode estar aliada à responsabilidade ambiental.

CASA VIVA traz ainda um ciclo de debates técnicos, palestras, cases e estudos voltados para a questão da sustentabilidade, que tem o intuito de orientar empresas e gestores no sentido de, entre outros objetivos, integrar as questões ambientais às práticas de gestão.

CASA VIVA busca através de atitudes transformar padrões. Através de mudanças no âmbito da cultura, quer tornar a pessoa comum ambientalmente consciente e responsável. Através de novas experiências que passam pela forma de cozinhar, o modo de vestir, até o modo de como se relacionar com a água no banheiro, na cozinha, no jardim, CASA VIVA quer transformar cada atitude e cada um de nós num pedacinho do planeta.

As portas da CASA VIVA estão abertas. É só entrar e vivenciar uma nova experiência.

30 de Junho a 3 de Julho de 2011
Centro de Convenções Sulamérica
Rio de Janeiro

Visite: http://www.casavivaconceito.com.br

Fonte do texto: http://www.casavivaconceito.com.br/site/o-que-e-casaviva.php

terça-feira, 15 de março de 2011

Seminário de Direito Minerário - BH

Almanaque Brasil Socioambiental disponível para download


Com 552 páginas, dez ensaios fotográficos e 85 verbetes, o Almanaque Brasil Socioambiental 2008 está disponível para download. Assim como em sua primeira edição, de 2005, traz um panorama atualizado dos ambientes brasileiros – Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Caatinga, Pantanal, Pampa e Zona Costeira -, aborda as grandes questões socioambientais contemporâneas, e tem capítulos específicos sobre Diversidade Socioambiental, Florestas, Cidades, Água, Terras, Recursos Energéticos e Minerais e Modelos de Desenvolvimento.

Contém ainda um capítulo inteiro sobre Mudanças Climáticas. O tema permeia toda a publicação, que traz informações específicas sobre as ameaças que as alterações no clima representam para cada região do Brasil a partir de cenários pessimistas ou otimistas, seus efeitos sobre o planeta, a relação do Brasil com o aquecimento global, o papel das florestas na regulação do clima, e quais os desafios que se colocam daqui para frente, no Brasil e no mundo.

Cartões-postais brasileiros ameaçados revelando a situação de paisagens, regiões ou lugares do País que vêm sendo afetados por grandes obras, poluição, desmatamento ou descaso também integram a publicação. Os textos foram produzidos por 122 colaboradores, entre jornalistas, ativistas e especialistas das mais diferentes áreas. Um mapa-pôster destaca os efeitos da ação humana sobre o território brasileiro.


Fonte do texto e do material: ISA, Instituto Socioambiental.

Link: http://www.socioambiental.org/nsa/detalhe?id=3266

segunda-feira, 14 de março de 2011

Oportunidade Bacana


Para recém formados de diversas áreas, com interesse em atuar inclusive na área ambiental, a Natura está recebendo inscrições para o Programa Jovens Talentos Natura.

São vagas para estágio e para trainee no Brasil, Argentina, Peru, Colômbia e México.

Mais informações no site:  http://www.jovenstalentosnatura.com/

domingo, 13 de março de 2011

Instituto para o Desenvolvimento Democrático

O  IDDE – Instituto para o Desenvolvimento Democrático, recém sediado em Belo Horizonte, está oferecendo cursos muito interessantes na área do Direito.

O curso de licenciamento ambiental, que terá início no dia 31/03, contará com a palestra inaugural do Dr. Adriano Magalhães Chaves - Secretário de Estado de Meio Ambiente e de Desenvolvimento Sustentávele da Dra. Roberta Jardim de Morais - Doutora em Ciências Jurídico-Econômicas pela Universidade de Coimbra.

O Instituto ainda oferece pós-graduação em Direito Constitutcional , com o renomado professor da Faculdade de Coimbra, Dr. José Joaquim Gomes Canotilho, entre seu corpo docente.


Mas informações no site: http://www.institutodemocratico.com.br/


http://www.youtube.com/user/InstitutoDemocratico#p/a/u/0/hl1rOdrAp5k

Brasil é intimado a se manifestar sobre licença de Belo Monte na Comissão Interamericana de Direitos Humanos

O Secretário Executivo da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA), Santiago Canton, remeteu nesta quinta, 10, uma solicitação de informações ao Brasil sobre o licenciamento e a falta de oitivas indígenas da hidrelétrica de Belo Monte.

O questionamento ao governo brasileiro é uma resposta a um pedido de medida cautelar encaminhada à CIDH em novembro de 2010 pelo Movimento Xingu Vivo para Sempre e outras 40 entidades de defesa das comunidades indígenas e tradicionais da Bacia do Xingu. Antevendo a emissão de uma licença de instalação parcial ilegal para as obras da usina, o pedido de medida cautelar solicitou que a União seja obrigada a suspender o processo de licenciamento ambiental referente à UHE de Belo Monte; a interromper qualquer intervenção, atividade ou procedimento por parte do Estado brasileiro ou terceiros para a construção da UHE de Belo Monte; e a respeitar os direitos humanos das pessoas e comunidades afetadas em tudo que seja relacionado com o projeto.

No questionamento, a CIDH exige que o governo envie à Secretaria, no prazo de 10 dias improrrogáveis, contados a partir do recebimento desta comunicação, informações sobre:

a) O estado atual da ação civil pública interposta pelo Ministério Publico Federal mediante a qual se solicita a suspensão imediata da licença parcial à empresa Norte Energia.

b) A alegação dos solicitantes de que a licença parcial outorgada à empresa Norte Energia não teria base legal e que esta teria sido outorgada sem cumprir com os requisitos estabelecidos pelo IBAMA. Tenha por bem apresentar as normas nas quais se fundamenta o outorgamento da licença.

c) Os procedimentos de consulta prévia, livre e informada realizados com os povos indígenas que seriam afetados pelo projeto Belo Monte”.

O questionamento da OEA é mais uma demonstração dos atropelos legais do governo brasileiro no processo de construção de Belo Monte. De acordo com a advogada da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos, Roberta Amanajás, o pedido de informações ao Brasil servirá como base para que a CIDH avalie o deferimento do pedido de medida cautelar. Se este ocorrer, o país em tese será obrigado a acatar as recomendações da OEA, explica Amanajás. “O Brasil, quando assina um tratado, se obriga a cumprir as determinações do mesmo. Ele assinou a Convenção Interamericana de Direitos Humanos, que reconhece a Comissão Interamericana como legitimada para analisar estes casos”, afirma a advogada.

Mais informações

Roberta Amanajás, (91) 81621232

Fonte: http://www.ecodebate.com.br/

sábado, 12 de março de 2011

Participe da Hora do Planeta 2011!


A Hora do Planeta é uma festa! Uma grande comemoração que reúne mais de 1 bilhão de pessoas no mundo. Juntos com o WWF-Brasil queremos mostrar que o aquecimento global não está com nada e que precisamos de medidas urgentes para manter o nosso planeta.

Para a festa ficar completa chame seus amigos e familiares. Somos nós todos juntos que vamos fazer a diferença. Seja um disseminador da Hora do Planeta e espalhe essa mensagem o máximo que puder.

No sábado 26 de março, entre 20h30 e 21h30, você e o mundo inteiro vão apagar as luzes por sessenta minutos em sinal de alerta contra o aquecimento global.

Selecionamos aqui algumas ações simples que você pode fazer para participar ativamente na nossa divulgação e ajudar o WWF-Brasil a mobilizar o maior número de pessoas:


- O primeiro passo é se cadastrar em “Quero Participar”. Assim o WWF-Brasil pode computar seu nome como participante e enviar as atualizações da mobilização;

- Depois acesse a área “Participe” do site e baixe o material disponível;

- Use as mídias sociais para falar da Hora do Planeta.

- Se você tem um blog, publique notícias sobre a Hora do Planeta e insira um banner do movimento;

- Importante: em todas essas ações, coloque sempre o link www.horadoplaneta.org.br;

- E não se esqueça: no sábado 26 de março apague as luzes entre 20h30 e 21h30.


Isso é só o começo. Use a sua criatividade em favor do planeta. Crie seu próprio cartaz, escreva uma música, faça um vídeo. A Hora do Planeta é um movimento das pessoas, e fica muito melhor com a participação de todos!

Fonte do texto e da imagem: http://www.horadoplaneta.org.br/

sexta-feira, 11 de março de 2011

Proteger o Patrimônio Cultural, um dever de todos!

Pirulito da Praça Sete - Belo Horizonte

A Prefeitura Municipal de Belo Horizonte vai lançar o programa "Adote um bem cultural" com vistas a evitar a degradação de bens culturais. Muitos imóveis de Belo Horizonte, tombados pelo Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município, estão em petição de miséria, à espera de mãos – públicas ou privadas – que deem um jeito na situação. O programa prevê a formação de parceria com proprietários das edificações sob proteção e empreendedores dispostos a promover o restauro ou manutenção do bem. A expectativa é de que o anúncio seja feito ainda este mês pelo prefeito Marcio Lacerda (PSB), que assinou o decreto oficializando a iniciativa em setembro.


Em BH, há 700 bens tombados pelo município, dos quais cerca de 5% se encontram em péssimo estado de conservação e 25% em situação intermediária, carentes de limpeza da fachada, retirada de placas e de outras providências, diz a diretora do Patrimônio Cultural da Fundação Municipal de Cultura (FMC), Michele Arroyo. Ela explica que o programa vai contemplar edificações, caso dos imóveis particulares e públicos; patrimônio urbanístico, como os monumentos, e imaterial, a exemplo das festividades, manifestações artísticas tradicionais; e acervo documental, existente em museus e outras instituições sob guarda da FMC – no Museu de Arte da Pampulha (MAP), Museu Histórico Abílio Barreto (MhAB) e Arquivo da Cidade de Belo Horizonte. Para participar, os proprietários e empreendedores deverão se cadastrar na diretoria do Patrimônio Cultural e assinar um documento. A partir daí, a prefeitura vai buscar prioridades, independentemente de o patrimônio ser público ou particular.

Fonte: Estado de Minas.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Imagem do dia!



Recebi a imagem acima por email sem indicação da fonte. Não poderia deixar de postar e deixar a lição de amor e respeito entre homens e animais.

quarta-feira, 9 de março de 2011

OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO NO CARNAVAL DE SALVADOR

A campanha de conscientização sobre os oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) no Carnaval de Salvador atingiu centenas de milhares de pessoas nos dias de folia. Resultado de uma parceria entre o Sistema das Nações Unidas no Brasil, o Grupo Eva e o Instituto EcoDesenvolvimento, a iniciativa teve como objetivo chamar atenção do público em geral sobre o cumprimento dos ODM até 2015 e os desafios que o Brasil enfrenta para alcançá-los.

“É muito importante quando a gente usa o poder do Carnaval como instrumento de uma boa ação. Os ODM são coisas básicas que já deveriam ter acontecido há muito tempo, como acesso à educação, erradicação da pobreza e os demais objetivos. Acho que falar disso durante a folia soa de forma honesta porque é verdadeiro para todos que ouvem a mensagem”, declarou Saulo Fernandes, vocalista do Grupo Eva.

Para reforçar a iniciativa, mensagens sobre as oito metas fixadas pela ONU também foram exibidas nos painéis eletrônicos dos trios elétricos do Eva. Balões gigantes com as marcas da campanha abriram desfiles dos blocos. No sábado, a tradicional feijoada do grupo – que reuniu aproximadamente 500 pessoas – marcou o início dos três dias de folia seguintes no Circuito Osmar. Na ocasião, foram distribuídas Fitinhas do Senhor do Bonfim customizadas com os símbolos dos oito ODM.

O estudo do PNUD e da UNCTAD revelou que “conhecimento, cultura e tecnologia podem ser os motores da criação de empregos, da inovação e da inclusão social”, elementos catalisadores do cumprimento das Metas do Milênio. "Em um primeiro momento, o Carnaval atua como fonte de esperança em um mundo melhor e mais justo. Em seguida, como fonte real de oportunidades, de geração de empregos, de inclusão social, de promoção da igualdade de gênero e de trabalho conjunto para um mundo mais próspero e feliz”, afirma Jorge Chediek, coordenador residente do Sistema ONU no Brasil. “Na prática, podemos dizer que os ODM são atingidos quando transformamos, de forma positiva, a vida real de cada cidadão. O Carnaval tem esse papel, tanto na área social quanto na econômica", acrescentou Chediek.

Até 2015, todos os 191 Estados-Membros das Nações Unidas assumiram o compromisso de:

Erradicar a extrema pobreza e a fome
O número de pessoas em países em desenvolvimento vivendo com menos de um dólar ao dia caiu para 980 milhões em 2004, contra 1,25 bilhão em 1990. A proporção foi reduzida, mas os benefícios do crescimento econômico foram desiguais entre os países e entre regiões dentro destes países. As maiores desigualdades estão na América Latina, Caribe e África Subsaariana. Se o ritmo de progresso atual continuar, o primeiro objetivo não será cumprido: em 2015 ainda haverá 30 milhões de crianças abaixo do peso no sul da Ásia e na África.

Atingir o ensino básico universal
Houve progressos no aumento do número de crianças frequentando as escolas nos países em desenvolvimento. As matrículas no ensino básico cresceram de 80% em 1991 para 88% em 2005. Mesmo assim, mais de 100 milhões de crianças em idade escolar continuam fora da escola. A maioria são meninas que vivem no sul da Ásia e na África Subsaariana. Na América Latina e no Caribe, segundo o Unicef, crianças fora da escola somam 4,1 milhões.

Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres
A desigualdade de gênero começa cedo e deixa as mulheres em desvantagem para o resto da vida. Nestes últimos sete anos, a participação feminina em trabalhos remunerados não-agrícolas cresceu pouco. Os maiores ganhos foram no sul e no oeste da Ásia e na Oceânia. No norte da África a melhora foi insignificante: Um em cinco trabalhadores nestas regiões é do sexo feminino e a proporção não muda há 15 anos.

Reduzir a mortalidade na infância
As taxas de mortalidade de bebês e crianças até cinco anos caíram em todo o mundo, mas o progresso foi desigual. Quase11 milhões de crianças ao redor do mundo ainda morrem todos os anos antes de completar cinco anos. A maioria por doenças evitáveis ou tratáveis: doenças respiratórias, diarréia, sarampo e malária. A mortalidade infantil é maior em países que têm serviços básicos de saúde precários.

Melhorar a saúde materna
Complicações na gravidez ou no parto matam mais de meio milhão de mulheres por ano e cerca de 10 milhões ficam com seqüelas. Uma em cada 16 mulheres morre durante o parto na África Subsaariana. O risco é de uma para cada 3,800 em países industrializados. Existem sinais de progresso mesmo em áreas mais críticas, com mais mulheres em idade reprodutiva ganhando acesso a cuidados pré-natais e pós-natais prestados por profissionais de saúde. Os maiores progressos verificados são em países de renda média, como o Brasil.

Combater o HIV/Aids, a malária e outras doenças
Todos os dias 6,8 mil pessoas são infectadas pelo vírus HIV e 5.,7 mil morrem em conseqüência da Aids - a maioria por falta de prevenção e tratamento. O número de novas infeccções vem diminuindo, mas o número de pessoas que vivem com a doença continua a aumentar junto com o aumento da população mundial e da maior expectativa de vida dos soropositivos. Houve avanços importantes e o monitoramento progrediu. Mesmo assim, só 28% do número estimado de pessoas que necessitam de tratamento o recebem. A malária mata um milhão de pessoas por ano, principalmente na África. Dois milhões morrem de tuberculose por ano em todo o mundo.

Garantir a sustentabilidade ambiental
A proporção de áreas protegidas em todo o mundo tem aumentado sistematicamente. A soma das áreas protegidas na terra e no mar já é de 20 milhões de km² (dados de 2006). O A meta de reduzir em 50% o número de pessoas sem acesso à água potável deve ser cumprida, mas a de melhorar condições em favelas e bairros pobres está progredindo lentamente.

Estabelecer uma Parceria Mundial para o Desenvolvimento
Os países pobres pagam a cada dia o equivalente a US$ 100 milhões em serviço da dívida para os países ricos. Parcerias para resolver o problema da dívida, para ampliar ajuda humanitária, tornar o comércio internacional mais justo, baratear o preço de remédios, ampliar mercado de trabalho para jovens e democratizar o uso da internet, são algumas das metas

Fonte: PNUD


quinta-feira, 3 de março de 2011

Reportagem: Porcos, aves e vacas são os animais que mais sofrem maus-tratos no mundo


Reportagem de Débora Spitzcovsky. Retirado do site Planeta Sustentável.

"67 bilhões de porcos, aves e vacas são expostos, anualmente, a condições de crueldade, segundo a FAO – Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, o que coloca esses três bichos nas primeiras posições do ranking dos animais que mais sofrem maus-tratos em todo o mundo.

Os culpados por tanta crueldade? Os consumidores de carne, ovos e laticínios, já que esses animais são maltratados, exclusivamente, para a produção de alimentos. Quem manda o recado é a HSI – Humane Society Internacional-Brasil, que para mudar essa realidade está promovendo no país uma campanha em prol do bem-estar dos animais de produção.

O foco central da ação não é levantar a bandeira do vegetarianismo, mas sim do consumo consciente. Hoje, no Brasil, mais de 70 milhões de galinhas são trancafiadas em “gaiolas em bateria”, que são superlotadas e não tem espaço nem para as aves abrirem as asas. A situação dos suínos não é diferente: cerca de 1,5 milhão de porcas reprodutoras estão confinadas em “celas de gestação”, que são baias individuais de metal onde as fêmeas não conseguem nem se virar. Tanta crueldade é necessária?

“Queremos mostrar que, assim como os cães e gatos, estes animais são sensíveis, sociáveis e inteligentes e, portanto, merecem o nosso respeito. Queremos que, além de reduzir o consumo de carne, leite e ovo, o consumidor se recuse a comprar daqueles que produzem com crueldade”, disse Guilherme Carvalho, que é gerente de campanhas da HSI-Brasil. “Essa é a hora de nos mobilizarmos, porque a previsão é de que, entre 1999 e 2050, a produção de carne e leite dobre. Consequentemente, o bem-estar animal estará cada vez mais comprometido”, completou.

Além de conscientizar o consumidor, a organização também está dialogando com produtores, governantes e varejistas, em busca de mudanças institucionais que garantam o respeito às necessidades básicas dos animais de produção. A HSI ainda atua em uma porção de outros países, defendendo um série de causas em prol dos bichos, como o fim dos testes em animais e do tráfico de espécies selvagens. Conheça mais sobre a organização em HSI"

É meus amigos, para mim não é fácil lidar com uma realidade brutal como essa. Existem inúmeras formas de violência e nós podemos ficar atentos e combater muitas delas. O consumo consciente é uma opção!
Desejos de um bom feriado de carnaval a todos, com paz, respeito e consciência ambiental!

quarta-feira, 2 de março de 2011

Carnaval e meio ambiente

http://www.aceav.pt/blogs/teresalemos/Lists/Fotografias/ecard_optocht_carnaval.gif

É Carnaval!!!!!!!
Período de muita alegria e diversão, ou simplesmente de descanso. Mas acima de tudo um período de muito consumo. Uma grande parte dos brasileiros viaja, o que gera um aumento no consumo de combustíveis. Além da grande produção de lixo, que em sua maioria ficam nas ruas. É possível aproveitar o carnaval com consciência, respeitando o meio ambiente, os espaços públicos e o seu semelhante.
Por isso sugerimos algumas dicas que podem fazer a diferença para o planeta e para você!

1. Atenção com o lixo que você produz
Preste atenção no que você está consumindo e que tipo de embalagem acompanha o produto; E acima de tudo, jogue o lixo no lixo.
É bom lembrar que estamos em período de chuvas e que o risco de enchentes com os bueiros entupidos é grande. 
Dentro do possível, carregue sua garrafinha.

2. As fantasias e assessórios podem ser reaproveitados
Guarde as fantasias usadas e utilize a criatividade para reinventá-las. Uma sugestão é a troca com amigos. Dica útil para quem tem crianças em casa!

3. Para quem vai viajar
  • Respeite a cidade visitada, procurando dentro do possível manter os lugares por onde passar mais limpos do que os encontrou. Especialmente, se optar por dias em contato com a natureza, carregue consigo todo o seu lixo.
  • Antes de viajar, não se esqueça de tirar os aparelhos elétricos e eletrônicos da tomada. Assim, você economiza energia.

4. Para quem não vai viajar
Se você optar por curtir a tranquilidade de sua cidade que não tem carnaval, dedique seu tempo a bons livros, cinemas sem filas, visita a parques e centros culturais; além de aproveitar para caminhar ou passear de bicicleta.

5. Não faça xixi na rua

6. Cuidado com excesso de bebidas
Assim você se lembrará das dicas acima e preservará sua integridade física e moral.

Fique a vontade para sugerir outras dicas para um carnaval consciente!