quarta-feira, 11 de março de 2009

ASMARE - Doação de Materiais Recicláveis


Ao mencionar a iniciativa da Recóleo, não poderíamos deixar de falar sobre a ASMARE - Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reaproveitável, criada em 1990, em Belo Horizonte, MG.

A Associação é o resultado de uma parceria entre a Pastoral de Rua e os Catadores de Papel com o objetivo de gerar trabalho, renda e novas condições de vida a partir da experiência construída pelos moradores de rua. E segundo informações constantes do site http://www.asmare.org.br/, a Associação conta hoje com cerca de 250 Associados. Uma experiência que deu certo e ajuda a tirar da miséria muitas famílias belorizontinas.

A ASMARE aceita doações de materiais recicláveis e muitas vezes a própria instituição se encarrega de buscar o volume aonde for necessário. Sobre doações, seguem as seguintes informações que também podem ser encontradas no site citado:

O que doar:
Existem diversos tipos de materiais que podem ser reciclados e doados. A Asmare trabalha com os seguintes recicláveis: papel, metal e plástico.

Como doar:
Grandes quantidades: Ligar p/ setor de coleta da ASMARE – (31) 3295.5615
Pequenas quantidades: Ligar p/ setor administrativo – (31) 3271.4455

Curiosidades:
Idade de decomposição dos materiais
Papel: 3 a 6 meses
Palitos de fósforo: 6 meses
Filtro de cigarro: 5 anos
Madeira pintada: 13 anos
PET: mais de 80 anos
Metal: mais de 100 anos
Plástico: mais de 100 anos
Tecidos: de 100 a 400 anos
Latas de Alumínio: 200 a 500 anos
Borracha: indeterminado
Vidro: mais de 4000 anos

Com exceção de vidro e borracha, todos os outros materiais podem ser doados para a ASMARE.

O site indicado ainda traz diversas informações sobre artesanato (dicas de como fazer), estatísticas, notícias, eventos e também sobre o Reciclo. Vale a pena dar uma olhada!

A idéia da ASMARE é referência mundial e já ganhou inclusive prêmios internacionais.

Não podemos deixar que esta iniciativa se perca, pelo contrário, temos que apoiá-la e assim estaremos ajudando a diminuir o volume de resíduos encaminhados para os aterros sanitários da capital, além de dar uma nova perspectiva de vida pra muitas pessoas.

Fonte: http://www.asmare.org.br/

12 comentários:

Leila disse...

Eu separo lixo em casa a algum tempo e me lembro de quando não separava e achava que dava muito trabalho! Trabalho nada, é um hábito como qualquer outro, e dos mais simples.
A coleta do óleo de cozinha não precisa ser feito em um coletor específico, mas em qualquer garrafinha de água ou pet que seria descartada. É possível ir completando a garrafa a medida que o óleo for sendo usado em casa e quando cheia entregar no posto coletor. Assim serão poucas viagens!!

Mariana disse...

Eu também passei a separar o lixo lá em casa faz mais ou menos um ano. Me deparei com duas dificuldades: conscientizar as pessoas da minha família e enviar o lixo para a coleta seletiva, que não atende meu bairro. Acaba que 1 vez por semana eu tenho que colocar o lixo no carro e levar para um posto de coleta da Prefeitura aqui perto. Dá um trabalhinho sim, mas vale a pena. Eu vejo como diminui o volume de lixo que minha casa manda para o aterro da cidade. Mas ainda me sobra uma pulga atrás da orelha sobre o que é feito com o lixo, se é mesmo reciclado.

Leila disse...

Mariana,
eu também já fiz o mesmo questionamento. Brasilia ainda está engatinhando em vários aspectos, especialmente na disposição de resíduos e reciclagem. Então todo material reclicável que eu separo vai para uma instituição privada, não é para a Administração do DF. Já tentei pesquisar qual o destino, a quem atende mas não encontrei nada!!!

Bárbara Moreno disse...

outro problema é que se não há fiscalização, todo o lixo que foi separado acaba sendo novamente misturado ao lixão...falta consciencia também naqueles que trabalham diretamente com isso!

Leila disse...

Acho que aqui em Bh é bem diferente. Apesar dos questionamentos sabemos da atuação da asmare e de como a associação transformou a vida de inúmeras famílias de catadores. Antes todo o vidro recolhido era passado para a Santa Casa que revendia para uma empresa de reciclagem de vidro em SP. Plástico e papel ficam pois temos empresas que reciclam os mesmos ou os transformam de modo a terem valor econômico para serem repassados. Qual a realidade de Minas hoje? Alguém sabe?

Patricia Vilas Boas disse...

Olá Meninas! Bom, até aonde eu sei, a Prefeitura de BH, através da SLU, está implantando um sistema de coleta seletiva e semanalmente, em um dia determinado, um caminhão próprio passa em alguns bairros da cidade recolhendo os materiais recicláveis. Não são todos os bairros da capital que estão incluídos não, como a Mariana falou, mas a idéia é que progressivamente novas áreas sejam atendidas. Sei que pelo menos parte deste material (ou ele todo) é doado para a ASMARE. A parte do lixo que não é reciclável é destinada a aterros sanitários. Inclusive está sendo construído um novo aterro em Ribeirão das Neves que também atenderá a capital.

Patricia Vilas Boas disse...

Só pra completar as informações que eu postei antes, eu mencionei esta questão de doação à ASMARE porque Escritórios, Empresas, Lojas e outros que geram um volume grande de material reciclável podem entrar em contato diretamente com a Associação para fazerem doações, sem a intermediação da SLU ou da Prefeitura.

minero disse...

Belo Horizonte é uma vergonha!

Recentemente, a Câmara de Vereadores inventou uma lei PROIBINDO o fornecimento de sacolas plásticas no comércio. A Prefeitura aprovou a tal lei, com todo aquele papo de "proteger o meio ambiente" etc e tal. O que faria sentido, apesar do transtorno para os consumidores (e do lucro para o comércio, que agora VENDE sacolas).

Porém, a prefeitura de BH não investe em coleta seletiva, são poucos bairros contemplados com o serviço, muito restrito.

Além do mais, há anos a prefeitura incompetente tem retirado as 'gaiolas' coletoras de material reciclável que existiam em vários pontos da cidade.

Então, hoje, quem quer doar material reciclável se vê na maior encrenca: tem de ficar ajuntando tudo em casa, procurando algum lugar para entregar o material, gastando tempo e dinheiro pra fazer o que a Prefeitura pseudo -ecológica NÃO FAZ!

Anônimo disse...

Oi Meninas, tudo bem?

Conheço uma empresa interessada em fazer doações de material reciclado para uma cooperativa de catadores, alguma objeção, recomendação? Há um contrato específico?

Beijos,

Cissi

Natalia disse...

Que bom encontrar este site! Vou ligar para a ASMARE e doar os quilos e mais quilos de papel velho. Ambos sairemos ganhando!

Sãozinha Nascimento disse...

O Brasil está longe de ser um país sustentável! Infelizmente são poucas as pessoas que preocupam-se em reciclar, separar o lixo e óleo que usamos em casa. Na minha própria família é um sacrifício fazê-los entender que temos que separar o lixo. Eu mesma tento separar o da cozinha, do banheiro e o de fora , onde coloco somente plásticos e papéis e mesmo assim o pessoal de casa acabam misturando tudo. Quando reclamo, eles dizem que vai ser tudo misturado no caminhão de lixo! E pior que é a mais pura verade...Infelizmente as prefeituras deveriam disponibilizar coletas de lixo reciclável. E isto é possível! pois dinheiro tem sobrando para investir, falta é compromisso. Inclusive tenho em minha casa umas três caixas de livros e cadernos para doações e não consegui doar para ninguém, inclusive tentei contacto com a ASMARE e vários outros e não tive sucesso. Enfim já está passando da hora de começar-mos a preocupar e levar a sério o cuidado com o meio hambiente, pois amanhã pode ser tarde e as consequências mais desastrosas do que já está sendo. Uma boa tarde à todos e fiquem com Deus. Obrigada.
Att: Maria Da Conceição Nascimento.

Sãozinha Nascimento disse...

Quanto as sacolas que dizem ser recicláveis, não passam de falcatruas como todos já sabem! Recentimente fiz uma pesquisa sobre as mesmas e descobri que as empresas que fabricam as "SACOLAS RECICLÁVEIS" são nada mais ...nada menos...de mulheres de vereadores, deputados...e como sempre eles acabam arrumando um "jeitinho" de ganhar milhões as custas do povo! Sem falar que as sacolas rasgam muito facilmente e ainda por cima são cobradas. É uma mentira isto de dizerem que é para acabar com o lixo plástico! Então pergunto: E as embalágens plásticas? Elas são muito mais difíceis de deteriorarem, do que uma sacola! Gostaria muito que fosse verdade a preocupação com o meio Hambiente, mas infelizmente tudo no Brasil é para causa própria! Absurdo!!! É só roubalheira ...e mais roubalheira. Sem falar que os legisladores já fazem as leis com várias brechas para benefício próprio. Vejam a Corrupção que está assolando o país desde que foi roubado das mãos dos Índios! Vergonha!!!