sábado, 29 de agosto de 2009

Tic Tac Tic Tac


A 100 dias da reunião da ONU sobre mudanças climáticas, em Copenhague (Dinamarca), um grupo de ONGs instalou neste sábado em cinco capitais brasileiras relógios que farão a contagem regressiva até o encontro, que vai definir um mecanismo para complementar o Protocolo de Quioto.

A campanha, apelidada de Tic Tac Tic Tac, é parte de uma iniciativa global da sociedade civil para pressionar governos nas negociação da ONU, em dezembro, na Dinamarca.

Além de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Manaus, Porto Alegre e Salvador, que receberão os relógios gigantes, houve mobilização em Brasília, Belo Horizonte e Recife. O Greenpeace Brasil, umas das ONGs responsáveis pela manifestação, organizou um apitaço para chamar a atenção dos gestores sobre a urgência do aquecimento global.

As entidades também recolherão assinaturas que farão parte de documento, a ser enviado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cobrando medidas mais enérgicas do governo brasileiro para reduzir as emissões de gases de efeito estufa e atenuar os impactos das mudanças climáticas no país. Entre as reivindicações estão o desmatamento ilegal zero até 2015, a garantia de pelo menos 25% de energias renováveis na geração de eletricidade no Brasil e a transformação de pelo menos 30% do território costeiro-marinho do país em áreas protegidas até 2020.

O encontro da ONU em Copenhague vai reunir representantes de 192 países para definir o futuro regime global de emissões de gases de efeito estufa, que entrará em vigor após 2012, quando vence o primeiro período de compromisso do Protocolo de Quioto.

A definição de novas metas de redução de emissões para os países desenvolvidos e de compromissos mais claros para países em desenvolvimento como o Brasil, a China e a Índia – que já são grandes emissores – está no centro dos impasses.

Fonte da matéria: Portal Uai - http://www.uai.com.br/

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Para inspirar!!!


Vocês lembram da fábula usada pelo Betinho como metáfora de solidariedade há alguns anos atrás? É a estória do "Beija-Flor e o Incêndio".

Verifiquei na internet que há diversas versões dessa fábula, sendo que alguns a atribuem a comunidades indígenas, enquanto outros defendem que se trata de uma lenda japonesa... O importante é a mensagem que a estória transmite. Olhem só:

Houve um incêndio na floresta e enquanto todos os bichos corriam apavorados, um pequeno beija-flor ia do rio para o incêndio levando gotinhas de água em seu bico. O leão, vendo aquilo, perguntou para o beija-flor: "Ô beija-flor, você acha que vai conseguir apagar o incêndio sozinho?" E o beija-flor respondeu: "Eu não sei se vou conseguir, mas estou fazendo a minha parte".

Bacana! Se cada um fizer a sua parte, juntos podemos fazer muito! Isso a gente pode aplicar ao nosso dia a dia, às nossas relações cotidianas... Temos é que ter coragem para fazer um pouquinho de cada vez e sempre! Agir em casa, no trabalho ou escola/faculdade, na família, no bairro, na Igreja e aonde mais for possível... Ficar atento, se informar, discutir, questionar e levar adiante iniciativas que visem à melhora da qualidade de vida em todos os seus aspectos, inclusive ambiental e social. Vamos juntos!!!

Fonte da foto: http://animais.bicodocorvo.com.br/informacoes/aves/fotos-beija-flor

Convite: lançamento dos livros Código de Mineração Anotado e Dicionário de Direito Ambiental



Segundo Green Drinks - 01/09/09



Convidamos vocês para o Segundo Green Drinks de Belo Horizonte!

O movimento GREENDRINKS.org organizou um Happy Hour onde uma vez por mês, bares em mais de 30 países no mundo recebem especialistas sobre temas "sustentáveis" para um bate-papo informal e agradável, onde você ouve, fala e aprende com todos.

Neste encontro, teremos como debatedor engenheiro Rodrigo Trindade, diretor da Agência Energia, responsável pelos principais projetos de energia solar no Brasil, além de consultor de diversas empresas, como Cemig e Eletrobrás.

Venha discutir conosco sobre energia limpa!

Anote na sua agenda:


Quando: Terça- Feira, 1º de Setembro de 2009.
Horário: 19:30
Onde: Reciclo 2
www.reciclocultural.com.br/reciclo2.php
Rua da Bahia n° 2164, Praça da Liberdade, Belo Horizonte.
Quem: Todos aqueles que acreditam e que se interessam pela temática que envolve a sustentabilidade (Empresas, Universidades, ONGS, Empreendedores Sociais, Associações, etc.)
Regras do jogo: Convidar amigos que tenham interesse pelo assunto!

Mais informações: Entre em contato com Poliana Abreu pelo telefone: 31 32908823 ou pelo e-mail:
poliana.abreu@animaeducacao.com.br

Confira as fotos do 1º Green Drinks:
http://site1.unibh.br/imgMarketing/site/green.html

http://www.greendrinks.org/ e http://www.greendrinksbh.ning.com/

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Qual é o lugar mais limpo do mundo?


Em meus passeios pela net encontrei este texto, que compartilho com vocês!

"Hoje, enquanto tomávamos café da manhã, minha filha de cinco anos me supreendeu com uma pergunta:
- Pai, qual é o lugar mais limpo do mundo? – questionou, em tom de charada.
Comecei a ponderar. Pensei: uma UTI de hospital. Afinal, a higiene é uma preocupação ali. Por outro lado, me ocorreu o drama das infecções hospitalares.
Tentei outra opção: uma fábrica de chips de computador. Ali, o pessoal aspira até as partículas de poeira, que podem danificar os circuitos delicados. Mas ainda assim sobram umas impurezas. Tanto que muitos chips saem com defeito.
Mais uma tentativa: o interior de um acelerador de partículas. Como explicar isso para uma menina de cinco anos? Tinha outra opção: o vácuo do espaço sideral. Essa era fácil de justificar. Mas resolvi ouvir primeiro.
- Não sei. Qual é o lugar? – eu disse.
- É o interior da floresta – ela respondeu. – Lá não tem poluição e nem vírus de gripe.
Parei para reavaliar. Ela tinha razão e acabara de me dar uma lição ecológica. Até filosófica. Em busca do lugar mais limpo do mundo, eu tinha excluído a vida. Inclusive a minha própria".

(Alexandre Mansur)
Fonte: http://colunas.epoca.globo.com/planeta/#post-2452
Imagem:http://atuleirus.weblog.com.pt/arquivo/floresta.jpg

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Energia que cabe na bolsa!!!!


Novidade!!! Conheça a bolsa que carrega a bateria de aparelhos eletrônicos com energia solar!
A empresa norte-americana Noon Solar trabalha com uma linha de bolsas ecológicas, feitas com material biodegradável, placas solares e baterias que podem ser reutilizadas ou recicladas. A ideia é que, enquanto você caminha até um parque, relaxa em alguma praça ou mesmo anda de bicicleta pela cidade, pode colocar sua bolsa ao sol e carregar aparelhos como o celular ou o tocador de mp3.
Do lado de fora, uma fina placa capta a luz do sol, que carrega uma bateria localizada dentro da bolsa. Em um dia ensolarado, essa bateria pode ser completamente carregada entre 6 e 8 horas. Já nos dias nublados ou chuvosos, a carga pode demorar um pouco mais. A bateria acumula a carga por vários dias e por isso, pode alimentar os aparelhos eletrônicos de dia ou de noite.
Detalhe: cada bolsa pode custar até 850 reais.
Fonte:
http://colunas.globorural.globo.com/bloggloborural/2009/08/24/energia-que-cabe-na-bolsa-e-no-bolso/

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Para ver o sol nascer: Parque Nacional de Jericoacoara!






Uma excelente dica de lugar para visitar é o Parque Nacional de Jericoacoara, no Ceará. Eu tive o prazer de conhecer lá e estava preparando um texto sobre o local quando vi esse relato mais que perfeito sobre a cidadezinha no site do Clube dos Aventureiros, escrito por Hugo, em 11/03/2005. Olhem só:

Há algum tempo atrás, Jericoacoara era uma pequena vila de pescadores perdida entre dunas imensas e isolada do resto do mundo, hoje ela cresceu bastante e se modernizou: ganhou energia elétrica, pousadas, restaurantes chiques e bares e quiosques invocados e toda a estrutura necessária para receber bem o turista, mas não perdeu aquilo que nós estamos procurando - a tranqüilidade de um lugar aparentemente esquecido do mundo. Localizada ao norte do estado do Ceará - quase divisa com o Maranhão - fica cerca de 300 km de Fortaleza e possui aproximadamente 10.000 habitantes.

A magia de Jeri causa paixão à primeira vista. É um impressionante cenário natural, onde tudo é lindo e único. O vilarejo é rodeado por gigantescas dunas móveis, com praias de enseada com mar calmo, praias de oceano com ondas, praias rochosas, pedras moldadas pela força dos ventos e do mar, lagoas de águas cristalinas, manguezais, coqueirais, arquitetura antiga e conservada, com ruas de terra batida. Isso e muito mais fazem de Jericoacoara um lugar maravilhoso e encantador.

O contato com os moradores nos ensina que a vida não precisa ser complicada para ter qualidade: sem trânsito, sem correria, sem horários, sem o stress da vida moderna e ainda preservando a natureza para extrair dela o sustento para sua família.

Não existem estradas de acesso nos últimos 15 km até a entrada de Jeri, pois não é permitida a construção de estradas dentro do Parque. Para chegar, é necessário um veículo 4x4, e também não é permitida a caça, nem a pesca predatória.

A energia elétrica vinha de geradores até 1998. Hoje, existe uma rede elétrica subterrânea que alimenta apenas as casas, mas não existe iluminação pública, para preservar a iluminação "natural" do luar. Não existe luxo nem requinte em Jeri, mas existem pousadas muito confortáveis com ar-condicionado e muitos bares e restaurantes com boa e farta comida. E as ruas da cidade continuam sendo de areia.

Para que luxo num paraíso desses?


A partir de 1984 Jericoacoara passou a ser considerada Área de Proteção Ambiental - APA, pelo decreto assinado pelo presidente João Batista Figueiredo. A APA foi constituída pelos municípios de Jijoca, de Jericoacoara e Cruz, e em 2002, a partir de uma re-categorização parcial da APA, foi criado o Parque Nacional de Jericoacoara pelo Decreto s/n de 04/02/2002, assinado pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso. Os limites do Parque também se estendem cerca de 10 km de distância do litoral, possuindo uma área de 8.416.08 ha.

Só para completar, lembro que Jeri é a meca para os praticantes de kitesurf e também de windsurf e lá também têm escolas especilizadas que promovem cursos rápidos das modalidades para interessados. Paraíso!!!

Texto adaptado do site http://www.clubedosaventureiros.com, escrito por Hugo, data: 11/03/2005, título: O Parque - Jericoacoara.
Fotos arquivo pessoal.

Marina Silva sai do PT

Dando continuidade a postagem da Leila sobre a possível candidatura da ex-ministra do Meio Ambiente - Marina Silva - à Presidência, coloco aqui trecho de reportagem publicada no site da Terra trazendo mais detalhes sobre a saída da senadora do PT.

A senadora Marina Silva anunciou na quarta-feira (dia 19/08), em Brasília, a sua saída do PT. A ex-ministra do Meio Ambiente não confirmou que irá ser candidata à Presidência em 2010 pelo PV, que a convidou para a corrida presidencial, nem que se filiará ao partido.

"Em relação à plataforma, isso é algo posterior, até porque aqueles que são candidatos desde que nasceram dizem que não são candidatos, por que eu vou colocar essa questão a priori?", disse a senadora.

Ao ser questionada sobre o longo processo que ela estaria tomando - de primeiro sair de um partido para depois anunciar que vai para outro - Marina respondeu: "não disse que tenho conversações com o PV. Disse que o partido me fez o convite e não se tratava de fazer minha filiação antes de sair do PT, tratava-se de sair do PT para me ver livre para fazer essas conversações", disse. "Não seria ético com o PT e com meus companheiros estar no PT e entrar nestas conversações", complementou.

"Cheguei à conclusão de algo muito semelhante ao que fiz a mais ou menos 30 anos atrás, quando decidi aos 16 anos sair da minha casa (...) naquele momento tive um sonho, de cuidar da saúde e estudar (...) e fui para Rio Branco, uma decisão difícil (...) eu recorro à essa história para dar a dimensão do que significa a dimensão de me desligar do Partido dos Trabalhadores depois de 30 anos de uma trajetória de trabalho, de construção, etc", comunicou.

O cantor e compositor Gilberto Gil afirmou ao jornal Folha de S.Paulo na segunda-feira passada, dia 17/08, que, se for convidado, pode aceitar ser vice na eventual candidatura da ex-ministra à Presidência da República pelo PV. Gil disse, porém, que ainda não houve convite por parte de Marina, mas que os dois devem conversar pessoalmente sobre o assunto.
Apesar de não ter sido confirmado, acredito que a ex-ministra realmente se canditará à Presidência da República pelo PV, pois se assim não fosse, a mesma provavelmente não teria deixado o PT depois de tanto anos. Pra gente isso é ótimo! Com a candidatura da Marina Silva, é possível que a questão ambiental seja abordada na sua plataforma política, bem como os outros candidatos terão que tratar do tema. Excelente!!! Agora botar o Gil como vice será que seria bom? Eu tenho as minhas dúvidas... Acho que seria melhor alguém que pudesse se dedicar mais ao cargo. Vamos aguardar as próximas notícias!!!

Fonte dot texto e da foto: site
http://noticias.terra.com.br/, Redação Terra, de autoria de Marina Mello, data: 19/08/2008.

Feira de Alimentos Saudáveis - Rede Terra Viva

Acontecerá amanhã, dia 22 de agosto de 2009, a Feira de Alimentos Saudáveis promovida pela Rede Terra Viva, no Bairro Santa Tereza, em Belo Horizonte. Uma ótima oportunidade para adquirir alimentos mais saudáveis e fresquinhos!!!

A Rede Terra Viva tem a missão de "organizar a produção, a compra, a venda ou a troca de produtos orgânicos, agroecológicos, artesanais e saberes, cuidando da vida e da saúde da rede de associados e da comunidade em geral, por meio dos princípios da cooperação, da visão biorregional e da economia solidária". Você inclusive pode se associar, se quiser adquirir alimentos saudáveis.

Seguem abaixo os detalhes da Feira:

Data: 22 de agosto de 2009, de 9h às 13 horas.

Local: Rua Mármore, 258. Santa Tereza. BH/MG.

Informações: www.4cantosdomundo.org.br // (31) 3461-6851// (31) 8842-0013

Fonte do texto: Agenda Semanal do CEI - Centro de Ecologia Integral, de 24 a 31 de agosto de 2009.

Bom dia!!!!


quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Agenda:II Congresso Internacional de Direito Ambiental

Para quem quiser participar do II Congresso Internacional de Direito Ambiental - III Congresso Nacional de Direito Ambiental da OAB-MG, que acontecerá em Belo Horizonte, no Minascentro, nos dias 16, 17 e 18 de setembro de 2009, lembramos que há descontos para as inscrições realizadas até o dia 31/08/2009!!!

Para maiores informações, acessem o site do evento: http://www.ml1eventos.com.br

Diálogos: Agrotóxicos em Alimentos


Evento importante da série Diálogos - Minas Recicla, promovido pelo CMRR - Centro Mineiro de Referência em Resíduos, que acontecerá em BH, é o Diálogos - Agrotóxicos em Alimentos. Seguem abaixo os detalhes:



Diálogos - Agrotóxicos em Alimentos



Objetivo: Debater sobre a problemática dos agrotóxicos em alimentos e os impactos sobre a saúde pública e do trabalhador, bem como a fiscalização, impactos ao meio ambiente e as novas tecnologias usadas.

Dia: 25 de agosto de 2009 Horário: 14h às 17h30 Local: Auditório do CMRR

Inscrições gratuitas: (31) 3465 1207 ou pelo e-mail: cmrr@cmrr.mg.gov.br

Palestras:

- Extensão rural e o uso de agrotóxicos - Georgeton Silveira - Engenheiro Agrônomo Coordenador Estadual de Olericultura - Emater/MG

- Fiscalização e as ações de Controle - Thales Almeida Pereira Fernandes - Coordenador da Fiscalização de Agrotóxicos do Instituto Mineiro de Agropecuária – IMA

- Efeito dos agrotóxicos sobre a saúde humana - Eliane Novato - Professora Associada do Departamento de Bioquímica e Imunologia do Instituto de Ciências Biológicas – UFMG

- Destinação final das embalagens de agrotóxicos - Eduardo Brito Bastos - Gerente de Projetos do Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias – INPEV

- Agroecologia e a produção Orgânica de Alimentos - Fernando Tinoco - Coordenador Técnico Estadual de Agroecologia - Emater/MG

Debatedora: Daniela Macedo Jorge Bióloga Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária da Gerência de Toxicologia da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)

Mediador: José Cláudio Junqueira Ribeiro Presidente da Fundação Estadual do Meio Ambiente - FEAM

Fonte do texto e da imagem: site do CMRR - Centro Mineiro de Referência em Resíduos - http://www.cmrr.mg.gov.br/interna.aspx?id=99

Ecomeninas no Green Drinks!





Gente!

O Green Drinks ontem foi um sucesso!!! As Ecomeninas estavam muito bem representadas pela Marina, que inclusive deu entrevista à TV UNI BH e tudo mais...

Só pra vcs terem uma idéia do que rolou lá, segue abaixo a notícia publicada hoje no site da UNI BH:
Belo Horizonte sediou, na noite dessa terça-feira, 18, o primeiro encontro do movimento Green Drinks, que tem o apoio do UniBH e da UNA. Promovido no Reciclo 2, o bate papo, mediado pelo Gerente de Projetos de Carbono do Grupo Plantar, Fábio Marques, teve como temas centrais as mudanças climáticas e o mercado de carbono.

A Analista de Sustentabilidade e Inovação da Anima Educação, Poliana Reis Abreu, destacou o objetivo do movimento. “É o primeiro Green Drinks em BH. A ideia é participar de um movimento mundial para a sustentabilidade. O objetivo principal é abrir espaço de discussão para todas as pessoas, sem nivelamento de qualquer área. O espaço é aberto, livre. O encontro vai acontecer toda primeira terça-feira de cada mês e teremos debatedores diferentes.”

O Diretor de Sustentabilidade e Inovação da Anima Educação, Eduardo Shimahara, falou sobre a importância do movimento. “É uma iniciativa mundial de um ´happy hour verde`, oportunidade de se aprender um pouco mais sobre sustentabilidade e de uma forma mais leve. O mais importante é estabelecer um networking. Conseguir trazer pessoas para se envolverem com este tema é de tamanha importância. No Brasil, somente São Paulo e, agora, Belo Horizonte, sediam o encontro.”

O tema trabalhado foi ressaltado pelo debatedor Fábio Marques. “O Green Drinks motiva as pessoas, a sociedade em geral, a se envolverem mais com um tema tão importante para o país e para o mundo. O outro diferencial é o espaço aberto para o aprendizado e para a troca de saberes. O movimento acaba motivando as pessoas a saírem um pouco da rotina e multiplicar ideias.”

A coordenadora de extensão da UNA, professora Natália Alves, também participou do encontro. “Esses encontros permitem, em um ambiente descontraído e num formato diferenciado, atingir outros públicos. É uma abordagem muito rica, em que são criadas redes de relacionamento e informação”, apontou.

Mais informações sobre o movimento Green Drinks Belo Horizonte podem ser obtidas pelo e-mail poliana.abreu@animaeducacao.com.br.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Bicicletas de Hamburgo



Pessoal,
estou de férias, passeando por lugares incríveis e por isso andei sumida dos posts. Mas finalmente consegui uma estadia com internet free (estranhamente isso não é tão comum na Europa) e vou aproveitar pra contar um pouco sobre Hamburgo.

Hamburgo é a segunda maior cidade da Alemanha e vista de cima ela parece mais verde do que cinza, o que já me impressionou, por se tratar de uma grande cidade. Existem pouquíssimas edificações verticais com mais de 5 andares e são inúmeros os parques em meio aos bairros residenciais.

Um aspecto que me chameou muita atenção em Hamburgo foi a valorização da bicicleta. Pasmem, mas a cidade inteira tem espaços demarcados para os ciclistas, sinais de trânsito específicos e muitas, mas muitas bicicletas, por todos os lados. Não há distinção de idade, nem de classe, todos usam esse meio de transporte para trabalhar, passear, levar bebezinhos lindos para o parque. E é sem dúvida a melhor forma de conhecer a cidade como turista. Eu provei e aprovei!!!


Incêndios florestais no DF


"O Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) divulgou nesta segunda-feira (17/8) um balanço do número de ocorrências de incêndio no DF desde abril até o domingo (16/8). Segundo o CBMDF foram contabilizados 1.539 focos nesse período, com 2milhões de metros quadrados queimados.
Só nesta quinta-feira, o CBMDF registrou 27 ocorrências de incêndios em matas, sendo que seis ainda estão em andamento. A área atingida foi de 67 hectares, o que equivale a 670 mil metros quadrados, fora os incêndios que ainda estão ocorrendo. Hoje, além do incêndio próximo a ponte JK, uma área de 35 hectares na Embrapa do Gama também foi queimada.
No sábado (15/8) e no domingo (16/8) foram registrados 89 focos de incêndio em matas. "A baixa umidade do ar, o vento dessa época e a temperatura contribuem para a proliferação dos focos", esclarece a capitão Shirlene Costa da coordenação de combate a incêndios.
A população também tem parcela de culpa nos incêndios. "Nós estamos sempre conscientizando a população para não jogarem pontas de cigarro acesas, não fazer limpeza de terrenos com queimadas e evitar fazer fogueiras ou rituais religiosos que utilizem o fogo", declara.
Em relação ao mesmo período do ano passado, o DF teve 121 casos a mais. "Acreditamos que o aumento do número de ocorrências esse ano foi devido ao clima atípico. Choveu até junho, em uma época em que deveria ser de seca e isso fez com que a vegetação crescesse mais e tivemos mais área para o fogo alastrar", afirma.
A corporação conta com 135 bombeiros diariamente para o combate ao fogo. Eles se revezam, sendo 75 durante o dia e 57 durante a noite. "Esse trabalho funciona de maneira voluntária, os bombeiros se inscrevem e são selecionados", afirma a capitão.
Prejuízos
Não é só a vegetação que sofre com as queimadas dessa época do ano. O prejuízo é também para a fauna. "Temos o assoreamento dos rios, o empobrecimento solo e danos aos animais das regiões afetadas", exemplifica.
Para a população, os prejuízos também são grandes. A fumaça pode causar ou piorar problemas respiratórios e também dificultar a visibilidade para os motoristas. "É importante que a população se conscientize também desses danos", afirma.
Ponte JK
O incêndio que atingiu as duas margens da Ponte JK atrapalhou o trânsito por causa da fumaça. De acordo com a capitão Shirlene Costa, 15 homens trabalharam no combate às chamas.
A fumaça pode ser vista de longe e chamou a atenção de quem passou pela Esplanada dos Ministérios. A pouca visibilidade atrapalhou os motoristas que passam pela ponte e deixa o trânsito lento principalmente no sentido Lago Sul - Plano Piloto.

Reportagem publicada no Correio Braziliense de 18/08/2009.
Foto:Marcello Casal Jr., Agência Brasil.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Em Minas Gerais, uso industrial de produtos florestais nativos terá limite de 5%




A Assembleia Legislativa aprovou o Projeto de Lei 2771, de autoria do Governo de Minas, que altera a legislação florestal no Estado e fixa limites que irão reduzir progressivamente, até 2018, o consumo legal de produtos ou subprodutos originados da vegetação nativa de Minas Gerais, em especial o carvão vegetal.


A nova lei estabelece que o consumo de produtos e subprodutos florestais de matas nativas não deverá ser maior do que 5%, a partir de 2018. A legislação atual permite que as indústrias supram toda a sua demanda por matéria-prima com produtos florestais de mata nativa, desde que haja reposição florestal. O cronograma de redução estabelece que, entre 2009 e 2013, essas indústrias utilizem, no máximo, 15% de produtos extraídos de florestas.


A nova legislação garante, além da preservação das matas nativas em Minas Gerais, competitividade para as empresas mineiras que, ao utilizarem somente produtos provenientes de florestas plantadas, disputarão mercado em boas condições com empresas estrangeiras ao produzirem produtos limpos. A norma também prevê punições mais rigorosas para quem não cumprir os cronogramas de redução de consumo de matéria-prima florestal nativa. As punições previstas chegam à redução da capacidade de produção e até mesmo à suspensão das atividades. A proposta aprovada pelo Legislativo prevê ainda o sistema eletrônico de rastreamento do transporte dos produtos florestais. Todas as transportadoras terão que instalar dispositivos eletrônicos em seus caminhões, que serão monitorados por satélite. O chip instalado permitirá o acompanhamento da trajetória da carga, identificando pontos de parada, desde a origem até o destino. O Instituto Estadual de Florestas (IEF) será responsável pela edição de uma norma que irá regulamentar o monitoramento eletrônico.





Boa iniciativa!

Publicada DN COPAM 138/2009 que trata sobre a convocação de empreendimentos classes 1 e 2 para o licenciamento ambiental


Informamos que foi publicada no dia 12 de agosto de 2009, a Deliberação Normativa COPAM n° 138, que trata sobre a convocação ao licenciamento ambiental de empreendimentos inicialmente classificados em classes 1 e 2 de acordo com a Deliberação Normativa n° 74 de 2004, mas que estão localizados na zona de amortecimento ou no entorno das unidades de conservação de proteção. Essa Deliberação revoga a Deliberação Normativa Copam nº123, de 14 de agosto de 2008. E entrará em vigor 30 (trinta) dias após a data de sua publicação, ou seja, em 10 de setembro de 2009.

Vale esclarecer, inicialmente, que, de acordo com o artigo 16 da Deliberação Normativa COPAM nº 74/2004, os empreendimentos são classificados nas seguintes formas:
I - Pequeno porte e pequeno ou médio potencial poluidor: Classe 1;
II - Médio porte e pequeno potencial poluidor: Classe 2;
III - Pequeno porte e grande potencial poluidor ou médio porte e médio potencial poluidor: Classe 3;
IV - Grande porte e pequeno potencial poluidor: Classe 4;
V - Grande porte e médio potencial poluidor ou médio porte e grande potencial poluidor:Classe 5;
VI - Grande porte e grande potencial poluidor: Classe 6.

A DN COPAM 138/2009 previu, ainda, hipóteses que a mesma não será aplicada, senão vejamos:
- Empreendimentos localizados em zona urbana;
- Atividades agrossilvipastoris – Listagem ‘’G’’ da DN 74/2004 que se encontravam comprovadamente implantados na zona de amortecimento ou no entorno das unidades de conservação de proteção integral anteriormente à criação desta unidade de conservação;
- Empreendimentos ou atividades de infra-estrutura de saneamento, constantes no "item E 03" da listagem "E" da Deliberação Normativa nº. 74, de 09 de setembro de 2004.

Para os empreendimentos de pesquisa mineral, quando envolverem o emprego de guia de utilização, classificados originalmente em classes 1 e 2 de acordo com a DN 74/2004 e que estejam localizados na zona de amortecimento ou no entorno das unidades de conservação de proteção integral, deverão se regularizar através da Licença de Operação para Pesquisa Mineral, nos termos da Resolução CONAMA nº 9, de 06 de dezembro de 1990.
Assim, caberá ao empreendedor requerer ao órgão ambiental competente a licença de operação para pesquisa mineral apresentando o plano de pesquisa mineral, com a avaliação do impacto ambiental, através do Relatório de Controle Ambiental - RCA e as medidas mitigadoras a serem adotadas, através do Plano de Controle Ambiental - PCA.

Atenção: Amanhã tem Green Drinks!

Mais uma vez o Ecomeninas convida aqueles que queiram se inteirar num bate papo informal sobre sustentabilidade à participarem do GREENDRINKS!
Neste primeiro encontro, teremos como debatedor o Gerente de Projetos de Carbono do Grupo Plantar - Fábio Marques, conduzirá as discussões sobre mudanças climáticas e o mercado de carbono.
Regras do jogo: Convidar amigos que tenham interesse pelo assunto!
Data: 18/08/2009 A partir das 19h30min
Local: Reciclo Asmare Cultural II
Info:
(31) 32908823 ou pelo e-mail: poliana.abreu@animaeducacao.com.br

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

As bicicletas de Aix en Provence...



Essas são as mais "novas" bikes de Romain e Isabela, um casal que mora numa cidadezinha ao sul da França chamada Aix En Provence...

Isabela nos contou que em Aix a população se locomove muito de bike e que o roubo delas é algo muito comum. Muitas bikes roubadas são largadas pela cidade e muitas vezes jogadas no lixo.



E foi assim que os dois encontraram suas duas novas bikes! Aliás, como diz o velho ditado, "o que é achado não é roubado"!!!


Segundo Isabela "as bikes estavam com os pneus furados os guidons estragados e precisavam de uns ajustes nos freios, bancos, além de uma boa limpeza...Como aqui em Aix roubo de bicicletas é algo SUPER comum, é facil de achar pela cidade, amarrados em postes, restos de outras bikes que tiveram rodas roubadas ou bancos, etc...Assim, pegamos umas rodas de outro "resto" de bike esquecida na rua, borrachas do guidon de uma outra e o resto foi fácil de consertar com as ferramentas e materias antigos de bike que o Romain tinha em casa! Voilà! Ficamos com as bicicletas novinhas em folha!".


A estréia das bikes aconteceu no mesmo dia do achado e os dois foram passear pela cidade chegando até o atelier Cezanne, onde ele passava suas tardes estudando e fazendo seus quadros, um lugar lindo!




Atelier


Depois, seguiram para uma montanha, um miradouro, onde Paul Cezanne ia apreciar a bela vista de Saint Victoire, a grande montanha branca de calcário, fonte de inspiração de vários quadros dele. Desse miradouro se pode ter uma vista privilegiada da montanha e era lá que Cezanne visitou várias vezes pintar a montanha em momentos diferentes do dia. Isso tudo só para conseguir luzes distintas e em diversas épocas diferentes do ano, para mostrar a mudança de cor da vegetação de acordo com as estações...
Paul Cézanne


Enfim, Isabela e Romain passaram um dia muito agradável em cima das suas "novas velhas" bikes!

The End! Ops... Fin!


Frase do dia!



Essa frase me foi repassada por um amigo muito especial!


"Desmatamento - Não há exemplo mais típico de um progresso às recuadas. Vamos para o futuro sacrificando o futuro, como se andássemos nas vésperas do dilúvio."
Euclides da Cunha

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Senadora Marina Silva e o PV


A senadora Marina Silva (PT-AC) foi convidada a disputar a sucessão à Presidência da República pelo Partido Verde. Embora não tenha dado a resposta definitiva ao convite, suas declarações deixam claro que o PT, no qual milita há 30 anos, já é parte do passado. E seu plano agora é abraçar as novas utopias. "Estou com 50 anos e é isso que me leva a essa (nova) discussão. Nós precisamos ter novos mantenedores de sonhos e de utopias."
No Palácio do Planalto já é dada como certa a saída de Marina. Lula acha que a ex-ministra deixará mesmo o PT.
Marina opôs-se à aprovação da medida provisória que regularizou terras da União ocupadas ilegalmente na Amazônia. Chegou a fazer um apelo ao presidente para que vetasse artigos tidos como prejudiciais à floresta.

A senadora afirma que está vivendo um sério momento de reflexão e não teme nem mesmo uma punição partidária, como a possibilidade de o PT invocar a fidelidade partidária e lhe tomar o mandato, caso vá para o PV.

"Meu mandato é uma honra tê-lo recebido do povo acreano. E eu o tenho honrado até hoje. Mas não será o medo da perda do mandato que me fará desistir de qualquer coisa que acredito ou defendo. Quando você fala de algo com a magnitude que estou fazendo, o cálculo político (da manutenção do mandato) apequena o debate".

Outro indicativo da disposição de Marina de mudar de partido está na resposta que deu à ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, virtual candidata a presidente pelo PT. No sábado, Dilma fez um apelo para que Marina não saia do partido. "Fiquei sabendo que ela fez um apelo e, ao mesmo tempo, disse que me entende. Afinal, ela saiu do PDT para ir para o PT e sabe como é isso", respondeu Marina.

O que vocês acham da possível candidatura da Senadora Marina Silva?

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Charge de Sinfronio: www.sinfronio.com.br

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Prazo para novo tratado contra aquecimento global está terminando


"Cerca de 180 países se reuniram nesta segunda-feira (10) para discussões climáticas na Organização das Nações Unidas (ONU), em meio a alertas de que está acabando o prazo para que eles cheguem a um acordo relativo ao complicado tratado a ser aprovado até o final do ano.
Entre 10 e 14 de agosto, cerca de 2.400 delegados presentes em Bonn tentarão reduzir o texto-base do pacto, delineando opções para o combate ao aquecimento global. Nos últimos meses, esse texto-base inchou de 50 para cerca de 200 páginas.
"O tempo está se esgotando" disse Yvo de Boer, chefe do Secretariado de Mudança Climática da ONU, num salão onde um relógio avisa que faltam 118 dias para a reunião ambiental de Copenhague, em dezembro.
"O desafio desta sessão é estreitar o texto. Temos um enorme terreno a cobrir."
A reunião de Bonn, a terceira neste ano na Alemanha, foi convocada porque havia poucos progressos a tão pouco tempo do prazo final. Ainda haverá rodadas de negociações em Bancoc (de 28 de setembro a 9 de outubro) e Barcelona (2 a 6 de novembro).
O texto de 200 páginas apresenta, entre outras coisas, ideias para controlar emissões de gases do efeito estufa nos países em desenvolvimento, ajudar os países pobres a se adaptar às mudanças climáticas, proteger florestas e arrecadar bilhões de dólares para financiar esses projetos.
De Boer disse que um dos pontos mais importantes da pauta de Bonn será "como os países ricos vão demonstrar liderança para reduzir suas emissões."


Líderes do G8 (bloco de países industrializados) concordaram no mês passado na Itália em reduzir em 80% as suas emissões até 2050, além de limitar o aquecimento global a no máximo 2ºC acima dos níveis pré-industriais.
Mas De Boer disse que o mundo "não caminha de forma alguma" para alcançar o limite de 2ºC.
A temperatura média do planeta subiu 0,7 graus centígrados no último século, e uma comissão científica da ONU projeta que novos aumentos podem provocar ondas de calor, secas, inundações e elevação do nível dos mares.
De Boer disse que ainda há disposição dos países para definirem um acordo, apesar de a atual recessão deixar muitos governos relutantes em aceitarem cortes obrigatórios de emissões. "Ainda há uma enorme vontade política para se chegar a um acordo em Copenhague", afirmou.
Os países em desenvolvimento também consideram vital mais discussões sobre como financiar o eventual acordo de Copenhague. As nações africanas, por exemplo, dizem que serão necessários pelo menos US$ 267 bilhões por ano até 2020 para ajudar os países pobres a combater os efeitos da mudança climática.
Com o prazo se esgotando, Ellito Diringer, do Centro Pew para a Mudança Climática Global, disse que a reunião de Copenhague conseguirá no máximo criar o marco para um acordo, com muitos detalhes deixados para depois.
Ele acha também que será "altamente improvável" que o Congresso dos EUA aprove uma lei climática antes de Copenhague.



Fonte: Folha de São Paulo

Mais um estado contra as sacolas plásticas!

No Estado do Rio de Janeiro, foi publicada a Lei 5.502, de 15.07.2009, que obriga à substituição e ao recolhimento de sacolas ou sacos plásticos, compostos por polietilenos, polipropilenos e/ou similares utilizados em estabelecimentos comerciais para acondicionamento e entrega de produtos e mercadorias aos clientes.

Excetuam-se as "embalagens originais das mercadorias, aplicando-se aos sacos e sacolas fornecidas pelo próprio estabelecimento para pesagem e embalagem de produtos perecíveis ou não."




E você, já adotou o uso de sacolas ecológicas?

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Método Para Definir Metas Globais de Redução de Emissões


Uma das grandes dificuldades para a definição de metas globais de redução das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) é a briga entre países ricos e pobres.

Os países desenvolvidos concordam em adotar metas de redução, porém somente se também forem definidas metas para os países em desenvolvimento. Os países pobres argumentam que não podem ter metas de redução, pois os países ricos são os grandes responsáveis históricos pela concentração atual de GEE na atmosfera.

Felizmente a capacidade humana já apresentou algumas solucões para esse impasse.

A Universidade de Princeton está propondo um método para distribuir a responsabilidade pelo corte de emissões de modo equitativo entre os países ricos e pobres. Eles consideraram a população, as emissões e a renda para distribuir os cortes necessários entre os países.

Agora só não serão definidas metas ambiciosas de redução de emissões se os políticos não quiserem.

O trabalho técnico que apresenta o método pode ser copiado na BIBLIOTECA ONLINE DE SUSTENTABILIDADE do site da Silva Porto Consultoria Ambiental:
www.silvaporto.com.br/admin/downloads/METODO_PARA_DEFINIR_METAS_DE_REDUCAO_DE_EMISSOES.pdf
De toda forma, a idéia é boa, apesar de possuir inúmeros pós e contras. De toda forma, fica claro o intuito dos Países Desenvolvidos de "penalizar", de alguma forma, alguns países superpopulosos como China, Índia e Brasil.
Se alguém tiver interesse sobre o assunto, eu tenho um material sobre isso, já que ao cursar a matéria Economia Ambiental, na Austrália, tive que fazer um trabalho sobre essa proposta e outras porpostas alternativas de redução das emissões de GEE, apontando os benefícios e os problemas que elas poderiam trazer, além de discutir se seriam justas ou não.


Poluição Afeta Inteligência Humana desde Útero Materno


A exposição à poluição durante a gravidez afeta o coeficiente intelectual das crianças, segundo um estudo americano que será publicado no jornal Pediatrics de agosto.

O estudo realizado durante cinco anos com 249 crianças que viviam nos bairros norte-americanos de Harlem e Bronx, em Nova York, mostra que os HAP, hidrocarbonetos aromáticos policíclicos, diminuem o coeficiente intelectual das crianças desde a gestação. Os HAP são poluentes tóxicos produtos da combustão do carvão, do diesel, da gasolina ou do gás.

O estudo foi realizado pelo Columbia Center for Children's Environmental Health (CCCEH) e financiado pelo Instituto Nacional para a Saúde dos Estados Unidos (NIH).

As crianças expostas a altos níveis de HAP (2,26 nanogramas/m3) mostraram que possuem um coeficiente intelectual inferior em 4,31 a 4,67 pontos, ao das crianças não expostas.

"Estas conclusões são preocupantes pois estes desempenhos em termos de coeficiente intelectual podem ter consequências no desempenho na escola", disse Frederica Perera, professora de saúde ambiental e diretora do CCCEH.

Ela observou que os efeitos desta contaminação sobre o coeficiente destas crianças é similar aos diagnosticados em crianças expostas a níveis baixos de chumbo, nocivo para o sistema nervoso.

"As conclusões do estudo são uma fonte de preocupação porque o coeficiente intelectual é um determinante importante do futuro sucesso escolar e os HPA são muito usados nos centros urbanos em todo o mundo", acrescentou Perera.

Muito triste saber que além de piorar muito a qualidade de vida das pessoas, a poluição também afeta o desenvolvimento intelectual das crianças...

Fonte: www.yahoo.com.br, data: 21 de Julho, de 2009.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

E os Créditos da Foto vão para....

Caros Leitores,
A foto que agora está embelezando o nosso blog foi tirada pela Leila, a Ecomenina que mora em Brasília e sempre nos dá notícia de lá. Leila tirou essa bela foto em uma de suas andanças pela sua terra natal - Bahia! Ai mas que saudades eu tenho da Bahia... A gente aqui fica com a foto e com as saudades da Bahia!!!!!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Fórum Mundial de Mudança Climática


Os governos de todo o mundo estabeleceram metas modestas para reduzir o aquecimento global até 2050. Cientistas e especialistas de todo mundo começam a se reunir em Belo Horizonte, entre os dias 4 e 7 de agosto, para formar uma coalizão global para propor medidas mais efetivas e reduzir o prazo para 2020. A abertura está sendo hoje no Palácio das Artes e a transmissão pode ser vista em tempo real:




Amanhã darei uma cobertura mais detalhada do evento!


Centenário de Roberto Burle Marx


Eu sou uma fã do grande paisagista brasileiro, Roberto Burle Marx que hoje completaria 100 anos. Um homem que usou a arte para intervir no meio ambiente e criar lindos jardins, além de contribuir na divulgação das plantas nativas do Brasil e ser um grande defesor da natureza.
Foi responsável pela construção de mais de 1000 jardins em todo o mundo.

Realizei uma pesquisa sobre sua biografia a algum tempo e gostaria de compartilhar com vocês.

Nasceu em 4 de agosto de 1909, em São Paulo. Filho de um alemão, Wilhelm, que deixou sua cidade natal, representando uma firma de exportação em Recife. Lá conheceu Cecília e tiveram seis filhos. Em 1901 se mudaram para São Paulo, e em 1914 para o Rio de Janeiro.
“A minha formação em arte vem desde que me entendo, porque minha mãe, embora não fosse artista profissional, era ótima pianista, fazia boa musica, tocava muito bem piano”.
Aos 7 anos, inicia a sua coleção de plantas, ganhando de uma tia uma Alocatia cuprea. Passou a noite a admirar a planta.
Foi para a escola alemã. Alem de colecionar plantas, era barítono e também se dedicava ao desenho.
Roberto e seus irmãos cresceram também sob os cuidados de Anna Piasek, agregada da família desde 1903, uma húngara que ao lado de Cecília acompanhou a infância e juventude dos meninos.
Conheceu Lucio Costa, cujos pais moravam na mesma rua.
Em 1928 vai para a Alemanha tratar problemas de visão. Em Berlim, revela-se a vocação em visitas constantes ao Jardim Botânico de Dahlen, onde descobre gradativamente a beleza e a exuberância da flora brasileira, e também o interesse crescente pela pintura: ele toma conhecimento de Cézanne, Matisse, Braque, Klee, Picasso, do cubismo. Vai a uma retrospectiva de Van Gogh que o marca de maneira especial.
Estuda desenho e pintura na escola de Degner Klenn. No limiar dos anos 30 retorna para o Brasil.
Matricula-se na Escola Nacioanl de Belas Artes. Pretende estudar arquitetura, mas decide-se afinal por pintura, a conselho de Lucio Costa.
Nesse ambiente que conhece Oscar Niemeyer, os irmãos Marcelo e Milton Roberto, Jorge Machado Moreira e Carlos Leão.
“O Leo Putz vinha da Escola de Munique. Como eu falava alemão, tive a possibilidade de conviver esplendidamente com ele, e possivelmente foi o professora mais importante que tive na minha vida. Depois, por ter tido uma amiga que namorava o Celso Antonio, fui estudar com ele.”
Em 1932 realiza seu primeiro jardim profissionalmente.
Em 1934 é indicado para ser Diretor de Parques e Jardins em Recife, lá permanecendo por 3 anos. Amplia seu conhecimento em botânica através de incursões pelo cerrado, aplicando-o nos primeiros trabalhos públicos em nosso país onde se dá o rompimento com o Jardim de modelo europeu. Data daí também o inicio de sua longa experiência como pesquisador, revelador e defensor de nossa flora.
Ao realizar um jardim de canas índicas vermelhas, Roberto é acusado de comunista e deixa assim o Recife por motivos políticos.
Entre 35 e 37 é convidado por Portinari para freqüentar as aulas que o mestre Brodoósqui dava na Universidade do Distrito Federal.
1937 já trabalha intensamente com Portinari nos murais do Mistério da Educação como assistente. Em 1938 nos Jardins do Ministéio da Educação e Saúde (hoje Palácio da Cultura), quando começa a trabalhar com a equipe responsável pelo projeto do edifício. É o seu priemiro projeto importante depois da volta de Recife.
A convite de Niemeyer, que assinou o projeto, realiza em 1942 os Jardins da Pampulha (Cassino, Iate Clube, Casa do Baile, Restaurante da Ilha e Roseiral e Ficetum – moraceas – da Igreja de São Francisco).
Em 1946 vai estudar junto com Mello Barreto no grupo zoobotânico do Jardim Zoológico do Rio de Janeiro. Em 47 executa o painel de azulejos para o pavilhão do Instituto Oswaldo Cruz no Rio de Janeiro.
Em 50 participa pela primeira vez da Bienal de Veneza e em 51 da I Bienal de São Paulo.
Década de 50 participa de várias exposições individuais pelo mundo e Brasil. Em 53 realiza também o projeto do Parque do Ibirapuera, arquiteto Oscar Niemeyer. Em 54 Museu de Arte Moderna e Aterro do Flamengo no Rio.
Em 59 realiza cenário e figurinos para o Balé Zuimaluti, com música de Villa Lobos e livreto de Mario de Andrade. Nunca mais se afastou dessa atividade de cenógrafo até o final de sua vida. Nessas atividades múltiplas, a experiência com grandes painéis de cerâmica vinha da década de 40, quando fez os primeiros para a colônia de férias do instituto de Resseguros do Brasil. Pelos primeiros anos da década de 50 passa a se dedicar seriamente ao design de jóias, numa sociedade com o irmão Haroldo Burle Marx. Roberto desenha, Haroldo executa. Pedras brasileiras eram usadas pela primeira vez em larga escala e lapidadas de uma maneira nada convencional.
O Rio de Janeiro foi de fato o cenário onde Roberto desenvolveu os seus mais queridos projetos: o sitio de Santo Antonio de Bica, os jardins do Museu de Arte Moderna, o parque do Flamengo, o calçadão de Copacabana.
A década de 60 foi marcada pelos Jardins de Brasília, alguns concluídos nos anos 70: Parque Zoobotânico, jardins, terraços e tapeçarias para o Palácio do Itamaraty – Ministério das Relações Exteriores -, Palácio da Justiça, Ministério do Exercito, Banco do Brasil, Residência da Vice-Presidência da Republica.
A lista de projetos, exposições individuais, medalhas, títulos e homenagens vai se estendendo largamente dos anos 70 e em diante. Roberto não parava de trabalhar.
Pouco antes do completar 56 anos, em 1965, Roberto esteve nos EUA, onde deu aula e fez conferências nas Universidades de Harvard, Berkeley, Oregon, Yale e Washigton. Foi assíduo conferencista, tanto no Brasil quanto no exterior.

No ano de 1949 Roberto adquire, junto com o irmão Siegfried, o Sítio de Santo Antonio de Bica, em Guaratiba, Campo Grande , zona oeste do Rio. Ali ele transformou pouco a pouco uma área de 800 mil metros quadrados no maior e mais importante viveiro botânico do Brasil. As viagens de coleta vão se intensificar em sistemáticas visitas às regiões fitogeográficas do país. A coleção cresce principalmente com as espécies autóctones. A coleção de velózias do sítio, segundo Luiz Emygdio, pode ser considerada a mais importante do mundo, bem como os conjuntos de bromélias, clúsias, palmeiras, helicônias. Várias espécies por ele descobertas vão levar o seu nome.

“Minha nomeação como membro honorário da Sociedade Botânica do Brasil me emociona e me enche de orgulho. Não sendo um botânico, procurei sempre, no decorrer de minha atividade como paisagista, contar com o apoio dos cientistas botânicos que pudessem ajudar-me a utilizar a vegetação de maneira consciente e, sobretudo, mais coerente”.

Roberto, poliglota (falava inglês, alemão, espanhol, francês e italiano), deu aula de paisagismo e jardinagem em faculdades de arquitetura no mundo inteiro, e abriu salas de aula no Sitio para a formação de jovens paisagistas e botânicos.
Preocupado com o destino desse trabalho de tantas décadas, no dia 11 de março de 1985, Roberto decidiu doar o Sitio com todo o seu acervo à Fundação Nacional Pró-Memória, hoje instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

“É preciso compreender que jardim é natureza ordenada, organizada para o homem, baseando-se em suas necessidades. Que os homens consigam compreender a paisagem, elaborada através de uma ordenação conscientemente orientada da natureza. Mas é preciso compreender a natureza selvagem, não elaborada, para tirar dela a grande lição.”

“Parece que tudo o que a gente encontra em nossa natureza tem a designação de mato, e por ser mato não serve. Tenho me batido muito pela utilização de plantas brasileiras, sobretudo sabendo que a nossa flora é tão rica. Tenho à minha mão mais de 5000 espécies de arvores e mais de 50 mil espécies de plantas. E um absurdo muitas vezes a gente não pensar em introduzi-las nos jardins.

Faleceu em 1994.

Referência:
CALS, Soraia. Roberto Burle Marx. Uma Fotobiografia. Rio de Janeiro, Bolsa de Arte, 1995.

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Tribunal de Justiça de Minas Gerais suspende licença ambiental de mineradora





O TJ-MG (Tribunal de Justiça de Minas Gerais) suspendeu, a pedido do Ministério Público Estadual o licenciamento ambiental de um empreendimento da Anglo Ferrous, em Conceição do Mato Dentro, a 168 quilômetros de Belo Horizonte. O Tribunal reformou decisão da Justiça local, que havia indeferido liminar de ação civil pública ajuizada para invalidar os efeitos da licença prévia obtida pela empresa.

Segundo a ação, ajuizada pelo promotor de Justiça André Luis Machado Arantes, é nula a declaração fornecida pela prefeitura, expedida em desacordo com o artigo 172, §10, da Lei Orgânica municipal. Tal legislação exige daquele que pretenda explorar recursos minerais no município a contratação de seguro ou depósito de caução para recuperação do meio ambiente, condição que não foi atendida pela empresa. Como o documento em questão é requisito para formalização do pedido de licença prévia, sua nulidade macula todo o procedimento de licenciamento e, inclusive, a licença prévia concedida.

A ação também contesta a validade da própria licença prévia, tendo em vista que a mesma foi expedida sem que o órgão ambiental analisasse todas as questões referentes à viabilidade ambiental do empreendimento.

O projeto da empresa está em área reconhecida como biosfera pela Organização das Nações Unidas, estando ainda no entorno de quatro unidades de conservação de proteção integral, um parque estadual, além de reserva indígena.

A ação foi proposta em março deste ano e, em julho a justiça indeferiu a liminar para suspender o licenciamento do empreendimento. Inconformado, o Ministério Público recorreu ao Tribunal, que acolheu o recurso. Agora o processo aguarda o julgamento do mérito.

Segundo informações do site da empresa mineradora, Anglo Ferrous, o projeto Minas-Rio contempla um complexo minerador, com minas e unidade de beneficiamento em Conceição do Mato Dentro e Alvorada de Minas (MG), um mineroduto de 525 quilômetros (que será o maior do mundo) que percorre 32 municípios mineiros e cariocas até o Porto do Açu, em São João da Barra (RJ). O projeto, que conta com investimentos de US$ 3 bilhões, está em fase de licenciamento e obras.

A Anglo Ferrous Minas-Rio contratou com o BNDES um empréstimo no montante de R$2,3 bilhões para os equipamentos da mina e do mineroduto.

O porto e o mineroduto já obtiveram as Licenças de Instalação (LI) concedidas, respectivamente, pelo Feema (Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente) e pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis). A área de Mineração está em fase de obtenção da Licença Prévia (LP).

Fonte: www.observatorioeco.com.br

Artigo no Jornal Estado de Minas!

Queridos Leitores,

Hoje o meu artigo intitulado "O Brasil precisa afrouxar a sua Legislação Ambiental?" foi publicado no Jornal Estado de Minas, na contra-capa do Caderno Direito e Justiça. Fiquei muito feliz, pois assim o meio ambiente é colocado em pauta e as pessoas podem discutir e buscar mais informações sobre o tema! Esse artigo já havia sido publicado aqui no Blog em primeiríssima mão no Dia do Meio Ambiente (05 de junho). Se tiverem a oportunidade, olhem lá no jornal!

Carpe Diem e uma ótima semana!!!