sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Ilha de Lixo


Há algum tempo atrás os jornais noticiaram a existência de uma Ilha de Lixo no oceano Pacífico e no domingo passado foi apresentada uma reportagem sobre o assunto. Acho muito importante que a gente reflita sobre isso, pensando no peso e nas consequências das nossas ações diárias e do nosso modo de vida...

Entre o litoral da Califórnia e o Havaí, uma área enorme ganhou um triste apelido: o Lixão do Pacífico. Levadas pela corrente marítima, toneladas e toneladas de sujeira, produzidas pelo homem, se acumulam num lugar que já foi um paraíso.

Um oceano de plástico, uma sopa intragável, de tamanho incerto e aproximadamente 1,6 mil quilômetros da costa entre a Califórnia e o Havaí e que, segundo estimativas, seria maior do que a soma de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Goiás.

É o Pacífico, o maior dos oceanos, agredido pela humanidade onde a humanidade raramente chega. Há plástico e plâncton, lixo e alimento, tudo misturado. Poluindo o paraíso, confundindo as aves, criando anomalias - como a tartaruga que cresceu com um anel de plástico em volta do casco - e matando os moradores do mar.

Mas qual será afinal o tamanho exato gigantesca massa de lixo que se acumula no Oceano Pacifico? Será que a gente ainda tem tempo para limpar tudo isso? E os animais? Se adaptam ou sofrem as consequências?

Será que é essa a herança que queremos deixar para as próximas gerações?


2 comentários:

sam disse...

Que triste...
já viram aquele filme, Happy Feet? A tal tartaruga aparece...

Patricia Vilas Boas disse...

Ei Sam, não vi esse filme ainda não,mas vou procurar saber. Valeu!